CEDAR AUDIO, a marca de referência no processamento áudio

Há mais de trinta anos que a CEDAR AUDIO lidera a área do restauro de áudio e supressão de ruído. O prestígio e o know-how desta marca não têm verdadeiramente rival. Se o seu trabalho passa, de uma forma ou de outra, por recuperar gravações, não existe alternativa profissional à CEDAR AUDIO. Se necessita de suprimir ruído, durante as captações, em produção, ou, posteriormente, em pós-produção, não existe alternativa profissional à CEDAR AUDIO. Se trabalha em broadcast, cinema, rádio, estúdio, live ou noutro qualquer campo em que se coloque a necessidade de proceder ao restauro de gravações ou suprimir ruído, em tempo real ou em diferido, esta é a sua única solução profissional. A CEDAR AUDIO é a referência inequívoca no tratamento de sinal acústico.

A CEDAR AUDIO é uma marca com uma reputação inabalável nas áreas do restauro do sinal áudio e supressão de ruído. Com efeito, foi a primeira empresa a criar um sistema de restauro em tempo real, desenvolvendo os primeiros sistemas de restauro baseados em hardware do mundo. Inventou o dehissing digital que não exigia uma impressão digital espectral. Inventou os primeiros corretores de fase/tempo, ao nível da sub-sample. Inventou o supressor digital de ruído de diálogo.Inventou o corretor de velocidade que não precisava de um tom guia. Inventou a edição espectral – uma técnica agora tão comum que as pessoas mal se lembram da vida sem ela. E tantas coisas mais. A tecnologia desenvolvida pela CEDAR AUDIO está presente nos seus produtos e é incorporada, sob licença, em produtos de outras marcas. A actividade e o prestígio da marca só podem ser classificada de uma forma: um prodígio.

Já aqui no FEEDFORWARD lhe falámos de alguns produtos da marca inglesa. Que se repartem por duas áreas fundamentais: hardware integrado para tratamento de sinal e software que funciona de forma autónoma ou integrada em qualquer DAW, Vamos-lhe recordar os principais produtos oferecidos pela CEDAR AUDIO.

No domínio do hardware integrado, o destaque vai para o DNS 2 e o DNS 8D.

DNS 2

O DNS 2, de dois canais, é o primeiro Dynamic Noise Supressor (DNS) projetado especificamente a pensar na portabilidade e com a preocupação de ter uma operação extremamente simples. Na sua base está um novo algoritmo DNS que não requer mais do que activar a função Aprender que identifica e se adapta ao ruído de fundo para, em seguida, gerar a quantidade de atenuação de ruído necessária. Mantendo uma latência de praticamente zero, é adequado para uso em todas as situações: da gravação no terreno, transmissão ao vivo, som ao vivo em locais como teatros, salas de concerto, salas de conferência e locais de culto. Pode ser, naturalmente, também usado em trabalho de estúdio e pós-produção. Veja mais sobre as características do DNS 2 aqui.

DNS 8D

O DNS 8D foi concebido especificamente para emissão e som ao vivo. Com oito canais de supressão de ruído, contém na sua base um novo algoritmo que combina o melhor do machine learning e do processamento de sinal, no qual os supressores de ruído do DNS 8 Live e do acima referido DNS 2 são baseados. Com a sua interface de utilizador elegante, que inclui modos de operação padrão e de pormenor, oferece melhor controlo do que qualquer modelo de supressão de ruído anterior, tanto a partir do painel frontal como de quase qualquer browser, que possa aceder ao seu software de controlo remoto interno. Com sua latência quase zero e uma entrada padrão de 12 VCC de 4 pinos, além de alimentação universal, é adequado para uso em todas as situações ao vivo: não apenas emissão, mas também som ao vivo, em locais como teatros, salas de concertos, salas de conferências e lugares de culto. Veja mais sobre as característica do DNS 8D aqui.

Studio 9

Na área do software, as soluções CEDAR estão disponíveis sob a forma de plug-ins nos formatos AAX, VST2, VST3 e AU (dependendo do sistema operativo usado). O Retouch ™ está também disponível como aplicação autónoma. O CEDAR Studio 9 inclui o conjunto de onze processos avançados que permitem eliminar uma ampla gama de problemas comuns e melhorar significativamente a qualidade do sinal áudio. Cada processo do CEDAR Studio 9 foi derivado do produto principal, o CEDAR Cambridge ™, que ganhou vários prémios, e oferece resultados insuperáveis, rapidamente e com o mínimo de confusão e intervenção do utilizador. Disponíveis estão as aplicações DNS, Studio Restore e Retouch, que incluem os onze processo descritos e estão disponíveis autonomamente ou globalmente. Sobre esta vasta paleta de aplicações pode ficar a saber mais aqui.

Fique a saber tudo sobre a CEDAR AUDIO aqui e, melhor ainda, marque uma visita connosco, para ficar a saber mais ou para um demonstração de alguns destes produtos.


A casa dos sonhos

A Ópera de São Francisco (SFO) foi reconhecida como uma das companhias de ópera líderes do mundo, desde a sua fundação em 1923. A SFO continua a ser uma instituição artística essencial por via da sua programação e inovações introduzidas. Destaque para o uso de meios digitais, programas de enorme qualidade no campo da formação artística e para a política de encomendas para expansão do repertório operático. A histórica War Memorial Opera House , o símbolo, por assim dizer, da SFO, inaugurada em 1932, acaba de concluir uma actualização técnica para uma infraestrutura completa de áudio sobre IP. Fê-lo com duas mesas de produção LAWO da série mc² e equipamento relacionado, unificando os sistemas de produção de áudio do teatro e concluindo assim um projeto com raízes que remontam há quase 7 anos.

A prestigiadíssimo San Francisco Opera é uma instituição chave no panorama artístico do Estados Unidos. Conhecida por cativar o público de São Francisco desde 1923, tornou-se um símbolo da grande ópera, conhecida também por encomendar várias estreias mundiais, treinar alguns dos maiores jovens artistas da ópera e ser uma das companhias de ópera líderes do mundo.

A LAWO não é propriamente novidade para esta SFO, que adquiriu a sua primeira mesa da marca alemã, uma mc²56 MKII, em 2015, para uso na pós-produção. Foi um bom campo de testes, já que a equipa técnica da SFO olhava para o futuro, planeando já a substituição de uma mesa anterior, sem rede, que usavam na altura.
Ter uma componente tão importante do equipamento fora de serviço não era aceitável. Os requisitos básicos para as novas mesas eram simples. Primeiro, as mesas precisavam de ser equipadas capaz de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz e, segundo, precisavam de possuir a qualidade e as características técnicas que a ópera e a música sinfónica exigem.
Tendo adquirido a mc²56 MKII, com o modelo Nova73 Compact em 2015, para o seu serviço de pós-produção, permitiu uma grande familiaridade com a marca LAWO. Na verdade, a escolha feita em 2015 deveu-se, justamente, ao facto de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz. A SFO usava Merging Pyramix para captura multipista e mistura de pós-produção desde 2007, e interfaces Horus e Hapi AD/DA para todos os microfones remotos desde 2012. Integrar aquele primeiro mc²56 MKII na sua infraestrutura permitiu muito criar um sistema de conectividade mais simples. A transição decorreu sem qualquer problema.

Com a presente actualização a SFO procurou atingir dois objectivos. O principal era reunir as instalações de áudio ao vivo, de transmissão e de pós-produção da San Francisco Opera numa infraestrutura de 96 kHz. O sistema inclui uma mesa de produção de áudio mc²56 MKIII com um núcleo A_UHD redundante para a cabine de som no 5º andar, nos bastidores. Junto com caixas de palco A__stage64 e A__madi6, um processador de vídeo Lawo V__pro8 e um Power Core RP com controle remoto VisTool RP, para ensaio e microfones gerais. Ao nível da orquestra, uma mesa de produção de áudio mc²36 MKII fornece som FOH. O backbone do sistema é gerido por dois switches Arista 7020.
Um segundo objetivo, era o de integrar a mesa FOH com a mesa de som principal, uma vez que as duas novas mesas compartilham agora todas as fontes. As saídas alimentam dois DirectOut Prodigy.MP, via RAVENNA, antes da distribuição espacial do som.

Um outro grande desafio com o equipamento anterior era a falta de DSP, que exigia muito equipamento de processamento externo . Uma vez que já estava instalada anteriormente a infraestrutura AoIP com a primeira MESA LAWO, foi fácil substituir as antigas stageboxes pelo modelo A__stage64, usando a cablagem existente e adicionando um Arista 7020 para ligar as mesas, núcleos A_UHD, unidades A__stages64, A__madi6 e o Power Core.

Por outro lado, a SFO partilha o teatro com o San Francisco Ballet, e ambos têm necessidades semelhantes, mas com algumas especificidades importantes. As mudanças necessárias foram, no passado, sempre bastante complicadas e demoradas, pois exigiam muitas alterações profundas do patch bay. Agora, finalmente, o sistema é grande e flexível o suficiente para que tudo o que há a fazer é, simplesmente trocar alguns microfones e introduzir um patch diferente na mc²56 MKIII, mc²36 MKII e no Power Core.

Saiba mais sobre este projecto aqui. Saiba mais sobre o equipamento aqui referido aqui. Fique a saber mais ainda sobre a LAWO e as suas soluções falando connosco.


HV-3D, as 8 vias para a excelência

A Millennia é uma marca de referência, quando falamos de equipamento de topo para áudio profissional. O pré-amplificador, modelo HV-3D é a versão de 8 canais do muito bem sucedido e popular pré-amplificador estéreo HV-3C. O HV-3D combina várias vias para minimizar peças mecânicas e eléctricas redundantes. É uma ferramenta que garante total fiabilidade. Uma ferramenta valiosa e útil, independentemente dos caminhos para onde a sua criatividade o leve. O HV-3D da Millennia é o passo certo, o passo que acaba por rentabilizar o seu investimento inicial, assegurando-lhe a captura do áudio mais cristalino, no exterior e em estúdio.

HV-3D

Os pré-amplificadores de microfone ampliam o sinal de entrada 1000 vezes. Não há undo para além deste ponto. Coloração ou distorção tornam-se parte do sinal. As informações perdidas nunca poderão ser recuperadas. Plug-ins digitais não podem “descolorir” o som ou restaurar parciais harmónicos superiores, perdidos. Algoritmos de compressão de dados (MPG, AC3, DTS etc.) não são capazes de distinguir sinal de ruído, portanto, preservar a clareza e integridade do sinal em todo o processo de gravação e produção é fundamental para comunicar a intenção e a individualidade do som de um músico ou actor. Não importa quão subtil ou atraente é um som de “assinatura”. Esse colorido destrói as opções em cada passo da cadeia. O caminho de sinal aberto e transparente da Série HV-3 definiu o conceito de “alta definição” desde o seu lançamento. Insubstituível em estúdio, mas também no exterior. A gravação em exterior é um número no arame, com apenas uma chance de capturar o momento vivo da performance, no seu ambiente original. A série HV-3 foi projectada para transmitir o sinal dos microfones para dispositivos de gravação, inalterado. Para além de garantir a capacidade de conduzir cabos extremamente longos. Não existe tal coisa como um cabo simples com ganho. Mas as entradas sem transformador da Série HV-3, circuito de áudio balanceado e o design de amplificador mínimo, aproximaram-nos mais do que qualquer outra solução do objetivo de um pré-amplificador: precisão absoluta e realismo sonoro sem compromissos.

Com o HV-3D são estes algumas das características de que vai poder desfrutar:

  • Recuperação de ambiente incomparável.
  • Design sem transformador com transistor de octeto discreto, de alta velocidade, com margem de entrada de +23 dBu, sem “pads” de atenuação.
  • Precisão tímbrica, sem cor, em todos os níveis dinâmicos.
  • Circuito de áudio totalmente balanceado, com componentes de precisão que mantêm a integridade do sinal: THD abaixo de 5 ppm (0,0005%).
  • Desempenho musical excepcionalmente realista e sem esforço.
  • O estágio de saída baseado em FET de precisão, com 32 dB de headroom: alimenta cabos de até 300 m.
  • Controladores de ganho padrão com 36 passos (1,5 dB por passo), estéreo, combinados a 0,08 dB.
  • Fonte de alimentação universal ultralimpa.
  • Terminais de ouro.
  • Chassis de rack de aço soldado.

Um imenso rol de características únicas, aqui definidas sumariamente, que conferem ao HV-3D um lugar de destaque nos maiores estúdios, por todo o mundo. Características que lhe garantiram um conjunto invejável e sem paralelo de prémios, referências e outras distinções.

Saiba mais sobre o HV-3D aqui e venha falar connosco para conhecer mais ainda sobre este equipamento de elite ou para um teste.


Produção áudio no século XXI

A transição inevitável para a tecnologia de base IP é um desafio a que, tarde ou cedo, qualquer unidade de produção de áudio vai estar sujeita. O protocolo IP constitui uma vantagem sem comparação e a LAWO representa o standard pelo qual estas soluções podem ser aferidas. O recente exemplo do Staatstheater am Gärtnerplatz, de Munique, na Alemanha, um teatro com 165 anos, ilustra as vantagens e a premência desta mudança tecnológica.

Neste momento, assistimos a uma mudança de praticamente todos os sectores da nossa vida para uma lógica assente no IP. A adopção deste protocolo para a criação de sistemas, mecanismos e vias de transporte de informação de diversificados aspectos do nosso funcionamento quotidiano é inescapável e estender-se-á progressivamente a mais e mais aspectos da nossa vida. É assim na saúde, na banca, no serviço público, é assim e assim será cada vez mais nos domínios da produção audiovisual, da televisão e da rádio, do broadcast, dos estúdios, do live.

É hoje perfeitamente inequívoco que o protocolo IP é a via natural para a mídia digital. É assim tendo em conta que se trata de sectores que valorizam a ligação e distribuição de sinal, a flexibilidade e rapidez de operação, o carácter compacto e rentável do digital.

O áudio é um domínio por excelência onde estes princípios se aplicam. Os estúdios, os plateaux de cinema, os auditórios ou qualquer ambiente onde o fluxo de sinal constitui a sua base de funcionamento não são excepção. O Áudio sobre IP (AoIP) é uma realidade imparável.

Isto não quer dizer que a transição não seja, neste como noutros sectores, isenta de problemas e as vantagens imbatíveis que o método traz não tenham de se avaliadas com algumas dificuldades que têm de ser ponderadas, mormente neste período de transição. A latência, as normas de ligação, a necessidade de manter compatibilidade com equipamento analógico ou que respeite a norma AE3, são alguns problemas reais, mas de forma alguma inultrapassáveis, a que é preciso dar atenção. Mas nenhum destes pequenos problemas põe, de alguma forma alguma, em causa a absoluta superioridade e a vantagem da tecnologia AoIP. 

Tendo em conta estas vantagens, é necessário encarar a criação de uma rede AoIP como o eixo central das instalações áudio do futuro e dotá-la de uma amplitude tão grande quanto possível. Certificando, de qualquer forma e se for caso disso, que os mecanismos de inserção e conversão de sinais provenientes de outras fontes estejam previstos de origem.

Uma mesa de mistura ou um patchbay concebidos à volta do protocolo IP são essenciais para assegurar o funcionamento destas novas infraestruturas, acompanhar e prever o futuro.

Muitas têm sido as unidades de produção áudio que têm feito a sua conversão para o digita AoIP, ao longo dos tempos recentes e disso tem sido dado conta aqui nas páginas do FeedForward. Estúdios, televisão, rádio, teatros, centros de congressos e tantas outras. A LAWO representa, sem dúvida, a referência neste tipo de conversões. As suas mesas de mistura e as suas unidades de ligação baseadas no protocolo IP constituem o padrão pelo qual esta área é aferida.

Um exemplo recente ilustra o que pode ser feito e o que há a ganhar na conversão para o AoIP.  Trata-se do Gaertnerplatztheater, o Teatro da Praça Gärtner, de Munique. 165 anos depois da sua inauguração e depois de inúmera fases de renovação e mudanças tecnológicas, o Staatstheater am Gärtnerplatz acaba de optar por um sistema de última geração LAWO assente numa infraestrutura AoIP.

Os elementos centrais da nova configuração do Gärtnerplatztheater são duas mesas de produção de áudio modelo mc²56, com uma unidade central A__UHD e um sistema de I/O assegurado por vários nós A__line AoIP, além dos dispositivos DALLIS, que a instituição já possuía anteriormente. 

As duas mesas mc²56 (MKIII), têm cada uma 48 vias, para além da unidade A__UHD Core, onde foi instalada uma actualização de software para facilitar a expansão da infraestrutura de IP, planeada para a temporada de 2022. Os sistemas DALLIS I/O existentes são integrados na rede por meio de um núcleo de distribuição Nova73 HD, com ligação adicional via nós A__stage AoIP e capacidade de WAN. Essa abordagem flexível permite o uso contínuo da tecnologia existente em novos fluxos de trabalho, possibilitando assim uma transição gradual para uma infraestrutura IP abrangente. Todo o sistema foi implementado como rede redundante para garantir a segurança.

Um exemplo de vitalidade e de confiança no futuro, no contexto de uma reconversão inevitável.

Saiba tudo sobre esta instalação aqui. Saiba mais sobre a LAWO e os produtos descritos aqui ou fale connosco para saber que soluções temos para o seu caso específico.


Millennia: sinónimo de excelência

Millennia é líder na produção de equipamento crítico de gravação áudio há 25 anos. As soluções Millennia são usadas pelos clientes mais exigentes por todo o mundo. Não só o prestígio dos equipamentos Millennia é universal, mas também as suas aplicações se estendem a todos os domínios do áudio profissional. Elas vão da gravação de música, em estúdio e ao vivo, das bandas sonoras de filmes, da samplagemlive, masterização, arquivamento, até à investigação em acústica. A solidez da marca, a qualidade e a fiabilidade inigualáveis dos seus produtos assim o permite. Por todos estes motivos, falar de excelência é, de facto, falar de Millennia.

Com mais de 30 prémios atribuídos e contando com a preferência dos principais clientes do sector, a Millennia continua a constituir a referência absoluta, quando falamos em equipamento de timbre neutro e dinamicamente estável, desde a captação de microfone até à entrega ao consumidor. Nos grandes palcos do mundo, na Biblioteca do Congresso, nos melhores espaços de dobragem de Hollywood e de outros centros de produção cinematográfica, dos incontáveis estúdios de gravação, pós-produção e masterização, na gravação de uma orquestra sinfónica, da voz para um filme, na investigação em acústica, etc., no cinema, no live, na rádio, na televisão, a Millennia é a referência. É mais que provável que uma solução Millennia tenha desempenhado um qualquer papel numa qualquer produção audiovisual que tenha ouvido hoje. Para o provar está a lista de utilizadores e o número de canais instalados que é, de facto, verdadeiramente impressionante.

As soluções Millennia cobrem um vasto leque de necessidades. Desde logo os préamplificadores de microfone. Distintos, conhecidos e reconhecidos pelos profissionais de todo o mundo. Também os processadores de sinal analógicos, compressores e equalizadores. Ainda a série 500 de pré-amplificadores de microfone. Ou os pré amplificadores de gira-discos analógicos. Ou a linha digital com opções DANTE ou MADI. Soluções premium, para quem exige resultados de topo.

A Millennia começou a sua vida como produtora de música clássica em 1990, trabalhando principalmente com orquestras sinfónicas, conjuntos e solistas. O HV-3 original foi projectado especificamente para gravação acústica de alta resolução, mantendo a pureza do sinal e o realismo dinâmico. O HV-3 passou a constituir a referência absoluta da indústria. Foi nisso que o que começou como um equipamento para satisfazer os altos padrões internos se transformou: referência. Isso foi há 25 anos.

Desde aqueles primeiros anos, a Millennia tornou-se o principal fornecedor de equipamentos de gravação de altíssimo desempenho e o pré-amplificador de microfone externo mais usado do mundo para gravação de música crítica. A filosofia de design da Millennia nunca mudou e continua a aplicar as práticas mais rigorosas de design e fabricação de áudio. Se um circuito Millennia (pré-amplificador, EQ, dinâmica, etc.) não é o instrumento mais preciso, neutro e dinamicamente estável de seu tipo, é objectivo da Millennia trabalhar até que o seja. Não constitui surpresa que os produtos mais usados ​​da Millennia estejam entre os mais altos valores de revenda em áudio profissional ainda hoje.

Conheça a Millennia e os seus produtos aqui. Venha falar connosco para saber que soluções Millennia temos para si.


Só há uma forma de monitorizar o sinal áudio

No mundo do áudio profissional, seja qual for a sua área, broadcast, estúdio, rádio, televisão, live ou qualquer outra, quando quer monitorizar até 32 canais a 96 kHz, dispôr de rede redundante, seguir o estado da sua rede, distribuir o seu sinal com facilidade e ter sincronização perfeita e latência quase zero, a sua escolha não oferece grandes dúvidas: a RTW oferece-lhe as ferramentas adequadas, com garantia de qualidade de topo e fiabilidade total. Monitorização e medida de sinal áudio? Só há uma solução: RTW.

A RTW é a empresa especialista em sistemas de monitorização de sinal áudio para fins profissionais. De entre as várias soluções disponíveis que pode conferir aqui, queremos-lhe destacar hoje os modelos TM7 e TM9. Estes modelos dispõem de suporte total de áudio sobre IP. Oferecem até 32 canais de áudio a sa 96 kHz e capacidade de rede redundante obedecendo às normas Dante ™, Ravenna, AES67 e ST 2110.

Estes ecrãs tácteis, com interface de áudio sobre IP, podem funcionar com até 32 canais de áudio, com frequências de amostragem de até 96 kHz. A frequência selecionada não afecta a contagem de canais, o que significa que o operador pode sempre confiar e manter os seus olhos em até 32 canais na rede de áudio IP a qualquer momento.

Além de medir fatores críticos relacionados com o sinal áudio, como loudness, true-peak, correlação ou distribuição por frequência, é também possível obter informação visual instantânea sobre o estado geral da rede de áudio. Isso permite uma solução rápida de problemas que possam surgir e identificação de problemas potenciais que podem causar tempos de inatividade críticos. No broadcast a fiabilidade é sempre um factor primordial. Portanto, os modelo de AoIP TouchMonitors que aqui referimos suportam ligação de rede redundante que garante que o operador tenha sempre uma visão geral de seu sinal áudio. Os modelos TM7 e TM9 com Dante ™ detectam e adaptam-se automaticamente aos nomes dos canais Dante ™, o que, por sua vez, facilita a distribuição do sinal, permitindo a configuração do sistema de medição de áudio na rede. A RTW criou tecnologia de áudio digital multicanal sem compressão. Daqui resulta latência quase zero e fiabilidade total no desempenho da sincronização. Deste modo o operador dispõe dos resultados mais fiáveis ​​e consistentes possíveis na rede de áudio.

Considerados produtos do ano pela NAB, os produtos da RTW cobrem um vasto leque de opções, de modelos autónomos a plugins para trabalhar com a sua DAW. Para além disso as soluções RTW podem ser encontradas em equipamentos de diversos fabricantes de material áudio profissional, desde DAW, passando por mesas de mistura. A marca alemã é a referência incontestada no que respeita a medição de sinal de áudio profissional.

Saiba mais sobre a RTW aqui. Se quiser saber mais ainda ou assistir à sua demonstração, venha falar já hoje connosco.


Indústrias criativas: formar os profissionais de amanhã

Dar uma formação da maior qualidade aos profissionais que vão actuar amanhã nos. bastidores dos grandes eventos ou ajudar a pôr de pé os grandes projectos artísticos, seja no broadcast, nos palcos ou nos estúdios, é uma meta que todos ambicionam alcançar. Mas para dotar os futuros profissionais das necessárias competências, os formadores precisam de dispôr de tecnologia que responda a exigências futuras e os formandos precisam de a conhecer, de estarem com ela familiarizados e de poderem com el ter uma experiência em primeira mão. O futuro, sabemo-lo, passa pela tecnologia de base IP. Mais do que uma curiosidade pedagógica ou formação avançada, trata-se hoje de uma exigência curricular básica. Uma área em particular, de aplicação desta tecnologia merece atenção: a intercomunicação. Conheça um caso recente de uma escola que usa tecnologia da RIEDEL para dar aos seus formandos as competências na área da intercomunicação que o futuro lhes vai exigir.

A intercomunicação é a seiva que alimenta as diversas áreas da produção profissional no broadcast, no live ou nos estúdios, móveis ou fixos. A intercomunicação passa hoje por uma forte exigência de qualidade, flexibilidade de utilização e fiabilidade, possíveis, só agora, graças à nova tecnologia de base IP. Longe vão os tempos da intercomunicação de baixa qualidade, cheia de interferências ou, simplesmente, impossível de implementar em determinados ambientes onde obstáculos físicos e outras dificuldades a tornaram por vezes um exercício difícil ou impossível. Hoje, com a introdução da tecnologia de base IP, a intercomunicação de alta qualidade e performance avançada é a norma. A RIEDEL disponibiliza soluções de intercomunicação, usadas nos grandes palcos, em eventos desportivos, artísticos, religiosos, à escala mundial ou local, de média ou pequena dimensão. Os equipamentos de intercomunicação concebidos e comercializados pela RIEDEL constituem a referência absoluta nesta matéria.

As vantagens desta tecnologia são fáceis de demonstrar: qualidade máxima de sinal, cobertura total, mesmo em ambientes complexos, como, por exemplo, espaços antigos, com irregularidades e obstáculos físicos intransponíveis pela tecnologia tradicional, fiabilidade total, operação transparente e flexibilidade sem limites, graças às infinitas possibilidades de configuração. Num grande evento como os Jogos Olímpicos ou nos maiores campeonatos mundiais, na Lua (verdade, não é sales pitch!), nos grandes palcos ou salas de concertos por todo o mundo, nos estúdios dos maiores broadcasters, ou em carros de exteriores que percorrem o planeta, falar de intercomunicação é falar RIEDEL.

Um exemplo recente de aplicação da tecnologia desenvolvida pela RIEDEL à formação chega-nos de Inglaterra. A Backstage Academy é uma escola dedicada à formação na área das indústrias criativas. Fundada em 2009, a Backstage Academy formou centenas de novos profissionais em áreas tão diversas como gestão de palco, criação de conteúdos, operação de luz/som, contacto com artistas, video mapping, logística ou cenografia. Praticamente todas estas áreas dependem da intercomunicação. Por isso a RIEDEL montou uma rede no campus da Backstage Academy baseado numa solução Artist e Bolero. Os cursos de gestão de palco, em particular, dependem de forma especial da intercomunicação, e o Bolero revelou-se aí uma ferramenta pedagógica particularmente adequada. Factores importantes são a qualidade robusta do sistema e a sua facilidade de uso que torna o sistema pedagogicamente muito eficaz. Os alunos distinguem o Bolero pelas capacidades dos seus recursos e as possibilidades de configuração. Na Backstage Academy, como noutras instituições em que é aplicada, a tecnologia RIEDEL é parte fulcral do funcionamento das indústrias criativas e prepara as gerações futuras dos seus profissionais .

Saiba mais sobre esta aplicação. Saiba mais também sobre a RIEDEL e as suas soluções. Obtenha aqui uma nota técnica da RIEDEL sobre as normas ST 2022-6 e ST 2110 para áudio e video sobre IP. E saiba mais ainda, falando connosco sobre o modo como podemos servir os seus objectivos.


O porquê das coisas

As mesas de mistura da LAWO são consideradas, sem qualquer favor, a referência pela qual se afere a qualidade dos equipamentos usados para fins profissionais. Pergunte-se a qualquer profissional de som, verifiquem-se as circunstâncias em que elas são usadas, confiram-se as suas características únicas, a sua robustez, a sua fiabilidade, a sua facilidade de operação e tudo isso confirmará a razão pela qual as mesas LAWO ganharam a reputação de que desfrutam no mundo do áudio profissional. No broadcast, no live, na rádio e noutras aplicações, a marca LAWO oferece o melhor que hoje serve os seus profissionais. Um recente exemplo de aplicação do modelo mc²56 vem-nos trazido da Áustria. A Media MSc, a companhia austríaca, especializada na gravação de alta qualidade de concertos de agrupamentos musicais diversos, para broadcast, acaba de instalar uma mc²56 num dos seus carros de exteriores. Porquê?

Pergunte a qualquer profissional do áudio qual a marca que melhor sintetiza o significado do que se pode chamar uma marca de referência e o nome da LAWO surgirá seguramente de forma espontânea. Pergunte-se-lhe um produto que melhor traduz este estatuto e as suas mesas de mistura certamente figurarão entre os seus destaques. De facto, a LAWO estabeleceu a sua sólida reputação, sobretudo, a partir deste tipo de equipamentos, que cedo se começaram a distinguir num mercado altamente exigente e concorrencial. As mesas de mistura da LAWO, para produção áudio no estúdio, no broadcast, no live ou na rádio são o sonho de qualquer profissional que trabalha nestes sectores. Trabalhar com elas é, não só, a garantia de uma operação sem sobressaltos, fiável em todos os aspectos do seu funcionamento e no cumprimento de todos os suas parâmetros, mas também o acesso a funções e características únicas.

As mesas de produção áudio, de que temos aqui amiúde falado no FeedForward, são a jóia da coroa da marca. As novas gerações (Mk III) dos modelos disponíveis oferecem mais e melhores funções, ainda melhor operação, compatibilidade total com o caminhos actuais do áudio profissional, integração perfeita com o equipamento tradicional e abrem a porta do futuro, pois a sua arquitectura foi pensada para integrar e acolher os desenvolvimentos a que esta indústria vai, seguramente, ser submetida.

A linha de mesas de produção áudio da LAWO integra, entre outras, a incontornável mc²56 (MKIII). É um modelo particularmente apetecido, quando falamos de precisão, robustez e flexibilidade de utilização. Encontramo-la em estúdios de som, de televisão, em carros de exteriores e noutras aplicações onde as exigências de qualidade são de topo, a fiabilidade requerida é total e as condições de utilização podem ser particularmente exigentes.

A MSc Media & Management GmbH (MSc Media), é uma importante e prestigiadíssima empresa austríaca, especializada em gravação de som de alta qualidade, em situações particularmente delicadas, geralmente de coros, pequenos agrupamentos musicais e grandes orquestras. A MSc equipou um de seus dois carros de exteriores com uma mesa de áudio da LAWO modelo mc²56 (MKIII) e uma unidade de distribuição de sinal modelo A__stage64 AoIP, antecipando a uma procura crescente para trabalho in situ.

mc² Micro Core
A__stage64 AoIP

A nova mesa de 48 vias da MSc foi otimizado para ambientes de produção de vídeo IP, com suporte para SMPTE 2110 e AES67 / RAVENNA. Recursos operacionais significativos incluem o Button Glow, codificadores touch-sense com iluminação de fundo e ecrãs TFT de cor, que fornecem aos operadores uma codificação clara das cores das faixas de canal para uma excelente visibilidade e acesso rápido, mesmo em condições de pouca luz. A nova mes está emparelhada com um mc² Micro Core, que fornece 192 canais de DSP e uma matriz de distribuição de sinal 512 × 512. A mc²56 (MKIII) com mc² Micro Core integra o Waves SoundGrid e fornece ferramentas de diagnóstico abrangentes para manutenção remota, incluindo arquivos de log e acesso http. A unidade de distribuição de sinal A__stage64 AoIP tem capacidade para 32 entradas de Mic/Linha selecionáveis, 16 saídas de linha analógica, 8 entradas AES3 estéreo e 8 saídas AES3 estéreo, através de ligações XLR. Tem também portas MADI redundantes, duplas, em formato SFP, 8 portas GPIO opto-isoladas, duas portas de streaming e controlo e uma porta de manutenção, numa unidade de 4RU.

Por tudo isto a LAWO e os seus produtos continuam a ser a referência. Saiba mais sobre a MCs e o novo carro de exteriores aqui. Saiba mais sobre os produtos LAWO — incluindo as mesas de produção áudio e as mesas para rádio — aqui. Venha falar connosco para ficar a saber mais sobre as soluções LAWO que temos para si.


O nascimento de uma nação

A data de 14 de Julho marca o nascimento da nação francesa moderna. O facto é assinalado anualmente com iniciativas que decorrem por todo o país. Uma das mais emblemáticas e espectaculares é o grande concerto, Le Grand Concert, que decorre, no Champ de Mars, junto à não menos emblemática Torre Eiffel. Já diversas vezes falámos aqui no Feedforward destes concertos e da importância que têm, na sua produção e transmissão, as mesas de mistura e outros equipamentos neles usados, fornecido pela LAWO. Fique a saber tudo sobre a edição de 2021 e sobre os seus bastidores técnicos.

As mesas da LAWO são incontestavelmente apontadas como o equipamento de referência, quando falamos de broadcast ou live. É este e outro equipamento que assegura, ano após ano, a qualidade superior de evento especiais, como é o caso deste concerto de comemoração do 14 de Julho, em França. O Concerto de Paris de 14 de Julho, tornou-se, na era pré-pandémica, um dos maiores eventos de música clássica realizado em qualquer parte do mundo> Assiste a ele, no local, cerca de meio milhão de espectadores. Este ano, o concerto contou com a Orquestra Nacional de França e o Coro de Radio France, a que se juntou um conjunto de solistas de renome internacional. O concerto foi seguido no local por 15 000 pessoas e foi retransmitido para uma audiência recorde de 3,5 milhões de telespectadores em França e de 10 milhões na Europa. São números impressionantes.

É particularmente significativo referir que, para satisfazer uma audiência expressiva como esta, o equipamento usado para fazer chegar todo este conteúdo aos ouvidos dos ouvintes e espectadores que o presenciaram, foi fornecido pela LAWO.

A mesa usado na FOH para a mistura da orquestra foi o modelo mc²56, de 48 vias. No controlo dos monitores foi, por sua vez, usada uma outra mc²56, também de 48 vias, com um extensor de 16 vias mc², acrescentado para permitir o distanciamento social entre os dois operadores . O controlo de pré-amplificadores separado, para a FOH e monitores e a separação da mesa mc²66 usado para a mistura da transmissão no carro de exteriores da Radio France permitiu o uso das próprias caixas de palco e pré-amplificadores de microfone DALLIS do sistema de forma integrada. Funcionando no contexto da rede de fibra óptica Optocore instalada pela Radio France para o sistema de som ao vivo, para ligar as mesas de mistura e os sistemas I/O do Concert de Paris, esta complexa operação provou, mais uma vez, que a LAWO se supera no que diz respeito aos padrões de qualidade do sinal áudio e a eficiência operacional.

Leia aqui e aqui sobre a intervenção da LAWO noutras edições de Le Grand Concert. Saiba mais sobre a edição de 2021, sobre as mesas mc²56 e sobre os sistemas de controlo áudio que foram usados. Venha falar connosco para saber mais ainda sobre estas e todas as outras soluções LAWO que temos para lhe oferecer.


Gerir uma infraestrutura áudio sobre IP

Mais do que uma tecnologia concebida para assegurar fluxos de trabalho e cumprir tarefas técnicas específicas, o que não seria pouco, as soluções LAWO baseadas em IP foram pensadas como espinha dorsal de uma infraestrutura global de média, capaz de assegurar a produção, processamento, distribuição e gestão de sinal em qualquer unidade de produção. A flexibilidade, fiabilidade e o poder de operação que oferecem não tem paralelo com algo que se tenha passado antes, na história da tecnologia aplicada aos média. A diversidade de aplicações e a riqueza de opções contidas numa solução constituída por uma mesa da série mc²56, equipada com o A__UHD Core, por exemplo, tal como foi instalada recentemente pela LAWO na STV plc, o canal principal da Escócia, é disso um exemplo.

O projecto demonstrou “a flexibilidade da tecnologia sobre IP para criar infraestruturas,” como refere Devin Workman, o director de vendas da LAWO para o RU e Irlanda. Originalmente pensado como uma actualização técnica e cosmética das movimentadas salas de produção e controlo de som da STV, o projecto transformou-se numa ambiciosa exploração da área do áudio sobre IP com vista melhorar fluxos de trabalho, que permitisse, ao mesmo tempo, explorar um caminho de expansão futura em toda a instalação. A equipa STV foi atraída pela flexibilidade do novo mesa de produção de áudio mc²56 (MKIII) da LAWO e pelas oportunidades proporcionadas pela sua arquitetura baseada em IP. Trata-se da primeira instalação para transmissão ao vivo do Reino Unido do A_UHD Core (Fase 2) da mesa de 48 vias mc²56 MKIII. O canal de transmissão da STV atinge 3,2 milhões de espectadores a cada mês, constituindo com o serviço de streaming, STV Player e STV Studios, a maior produtora da Escócia.

A__UHD Core

Para além da mc²56 MKIII, foi instalada uma unidade A__UHD Core, o que proporciono à STV a capacidade de gerir e distribuir sinal via IP, ao mesmo tempo que permitiu uma enorme redução de espaço e economia na cablagem. Essa economia de espaço e uso de energia, juntamente com os recursos de configuração Easy IP incluídos na nova plataforma de gestão do sinal IP HOME, optimizou uma mudança em direção à infraestrutura de áudio sobre IP. Adicionalmente a LAWO também forneceu uma configuração Mix Kitchen para aumentar a flexibilidade do sistema e permitir o controlo remoto de hardware da mesa.

Para completar a configuração, a STV escolheu as stage boxes A__mic8 para os estúdios. Várias A_mic8 foram instalados em caixas de parede distribuídas igualmente pelo estúdio, em vez de uma unidade A__stage64, maior, localizada centralmente para ajudar a reduzir a cablagem de microfone. O R3LAY Virtual Patchbay (VPB) foi implantado de modo a permitir correr o software de reprodução SpotOn.

Stage boxes, série A

Para além de beneficiar das características únicas da mc²56 MKIII, que poderá ver aqui, a unidade A__UHD Core (IP nativa – em que UHD significa “densidade ultra-alta”) constitui um elemento fulcral para as mesas da LAWO da série mc², que oferece uns impressionantes 1024 canais de processamento de áudio com qualidade mc² em apenas 1RU, enquanto reduz drasticamente o consumo de energia. O A__UHD Core fornece vários conjuntos de matrizes de monitorização, downmixing e upmixing, e está pronto para formatos de áudio de última geração, como Dolby Atmos® e MPEG-H. O novo A__UHD Core da LAWO é um dispositivo IP nativo, projectado desde o início para funcionar em redes IP e gerir dispositivos em rede. Como tal, é totalmente baseado em padrões abertos como ST2110-30 / -31, AES67, RAVENNA, Ember + e NMOS. E é projetado para operação em 48 kHz e 96 kHz. Pode saber tudo sobre o A__UHD Core aqui.

Venha saber mais sobre a LAWO e as suas soluções falando connosco.