AVIOM, a referência

A AVIOM é uma empresa que se dedica à concepção e produção de uma linha particular de produtos para o profissional do áudio: misturadores pessoais de monição. Uma referência absoluta, o padrão pelo qual este tipo de equipamentos é definido. Os misturadores pessoais da AVIOM são vistos e ouvidos nos lugares mais notáveis do mundo, onde os profissionais, artistas, técnicos, produtores, necessitam de equipamentos construídos segundo os padrões mais exigentes, mais transparentes e mais fáceis de operar. Onde quer que seja necessário dispôr de uma monição de qualidade de topo, robusta, fiável, fácil de operar, em salas de espetáculo, em estúdios, em palcos ao ar livre, ou noutro qualquer espaço, seja de que dimensão for, a solução de referência para a monição individual é AVIOM.

AVIOM, as origens

Conhecida por revolucionar o conceito de mistura pessoal de monição, com seu sistema Pro16®, a AVIOM é uma empresa fundada em 2002, por uma equipa de profissionais de engenharia, design e desenvolvimento de produto, com muitos anos de experiência nas áreas dos instrumentos musicais e do áudio profissional. A missão a que se propuseram foi a de criar produtos inovadores, baseados em tecnologia que atendesse às necessidades do mundo real dos profissionais de áudio e dos músicos que trabalham nos mais diversos ambientes.

Os produtos da AVIOM são usados ​​numa variedade de aplicações, em missões críticas, que exigem alto nível de desempenho, em instalações portáteis e fixas. Os mercados de AVIOM incluem reforço de som ao vivo, broadcast, estúdios de gravação, casas de culto, teatros, escolas, navios de cruzeiro e instalações de pós-produção. Estão espalhados por todo o mundo.

Todos os produtos AVIOM são alimentados pela A-Net®, a inovadora tecnologia de transporte de sinal áudio digital de alta velocidade, projectada propositadamente para as aplicações exclusivas de mistura pessoal para monição. O protocolo A-Net diferencia os produtos AVIOM de outras marcas e permite uma combinação de desempenho, de alta qualidade, de fiabilidade, de robustez e de facilidade de uso, que não é possível com outros protocolos. Aqui reside o segredo da razão do sucesso da AVIOM.

O produto certo para cada necessidade específica

A AVIOM oferece uma linha completa de produtos de rede de áudio para várias aplicações de mistura pessoal para monição.

O A640 Personal Mixer é a nova referência de topo da AVIOM. Traz-nos um nível incomparável de controlo, de desempenho e de fidelidade à mistura pessoal, que é o símbolo da marca desde as suas origens. Com mais canais de mistura, recursos poderosos e um interface de utilizador intuitivo e simplificado, o A640 ajuda os músicos a ouvir e a ouvirem-se melhor. Agora, com este A640, isso é mais do que nunca o que se obtém deste novo produto. O A640 é compatível com todos os sistemas existentes usando rede Dante, placas de mesa digital ou entradas analógicas e pode ser usado, simultaneamente, com os misturadores pessoais A360, A320, para além do A-16II.

O A320 Personal Mixer, por seu turno, oferece aos músicos que tocam e gravam uma ferramenta um controlo simples e intuitivo sobre as suas misturas de monição. O A320 oferece aos músicos a capacidade de obter misturas claras de cada vez que tocam. Ideal para uso com monitores tipo in-ear, o A320 oferece aos músicos um controlo poderoso sobre a sua mistura, ao mesmo tempo que preserva a simplicidade necessária para uso durante a performance, propriamente dita. O A320 é compatível com todos os sistemas de mistura pessoal AVION existentes ou descontinuados e pode ser usado simultaneamente com os misturadores pessoais A640, A360 e A-16II.

Destaque ainda para o sistema BOOM, projectado para melhorar drasticamente a experiência de mistura pessoal, adicionando informação táctil de baixa frequência, processada de maneira optimizada, seja qual for o monitor de ouvido usado. Projectado pelos especialistas em monitores pessoais, o sistema BOOM é fácil de usar e fornece uma extensão natural de baixa frequência ao ambiente de monição, seja qual for.

Os produtos BOOM System são compatíveis com todos os sistemas de mistura pessoal AVIOM e podem ser facilmente ligados a qualquer dispositivo de áudio que possa fornecer saídas para auscultador ou de nível de linha. Além da unidade principal, o processador de transdutor táctil BOOM-1, há um transdutor táctil do sistema BOOM para cada membro da banda.

Podem ainda ser fornecidos sistemas completos, já configurados para algumas das mesas de mistura mais comuns ou para funcionarem no ambiente de uma rede Dante.

Uma presença que marca

A imagem dos produtos AVIOM vista nos maiores palcos, estúdios e nos maiores eventos é, sem margem para dúvida, aqui que se pode chmar a imagem de marca. Prova de que a AVIOM é a referência, quando falamos de sistemas de mistura para monição pessoal. Nenhum outro se lhe aproxima.

Se quer ficar a saber mais sobre a AVIOM, sobre estas e outras das suas propostas, veja aqui. Se quiser saber mais ainda e se quiser que o ajudemos a construir o sistema que se adapta melhor às suas necessidades, contacte-nos.


A LAWO brilha em Paris

O dia da tomada da Bastilha é um dos símbolos fortes da Revolução Francesa. O 14 de Julho é uma data especialíssima, assinalada com grande solenidade, particularmente, em Paris, onde desde há 10 anos decorre um gigantesco concerto comemorativo, conhecido como o Concert de Paris. O palco do acontecimento é imenso, o desfile de músicos é ininterrutpo, o nível artístico é estratosférico, o cenário não podia ser mais deslumbrante. A qualidade do som, ouvido ao vivo ou emitido para todo o mundo através da televisão e da rádio, tem que estar à altura da dimensão do evento. E essa qualidade passa por quatro mesas LAWO da série mc²56. Estrelas cintilantes poderia ser o slogan deste Concert de Paris. Estrelas de uma constelação muito especial. Uma constelação feita de estrelas que cintilam no cenário que envolve o concerto, de estrelas que fazem cintilar com a sua arte o palco instalado na base da Torre Eiffel e, naturalmente, de estrelas que têm de ser atribuídas à qualidade cintilante do som das mesas LAWO.

O Concerto de Paris, seguido do tradicional fogo de artifício, tem lugar na capital francesa, regularmente, a 14 de Julho. É um dos maiores eventos de música clássica do mundo. Cerca de 150 000 espectadores tiveram este ano a oportunidade de assistir in loco ao concerto, que contou com a Orquestra Nacional de França, o Chœur e a Maîtrise da Radio France, bem como um cartaz sumptuoso de solistas de renome internacional. Milhões de ouvintes e telespectadores tiveram, entretanto, oportunidade de seguir também o evento nos canais Radio France e France Télévisions, ao vivo ou em gravação, também em muitos países —incluindo Portugal, via RTP— através da rede Eurovisão. Praticamente 3 milhões de melómanos.

Esta 10ª edição do gigantesco concerto de música clássica, que tem lugar à beira da Torre Eiffel, exige uma qualidade de som sem cedências, como seria normal nestas circunstâncias, tendo em conta a dimensão e o enorme impacte do evento. As especificações técnicas, requeridas, quer para o som ao vivo quer para a transmissão através da rede pública francesa de televisão e pela rede Eurovisão, são, pois, de exigência máxima. Sob as mãos experientes dos engenheiros de som da Radio France, as mesas de mistura da LAWO forneceram uma qualidade de áudio superlativa, para a enorme multidão presente no Champs de Mars, bem como para todos os ouvintes e espectadores que assistiram ao Concert de Paris em suas casas.

Quatro mesas LAWO, quatro. Duas mc²56 MkIII foram usados como FOH, para uma pré-mistura dos solistas e coros, para a orquestra e para a mistura geral do sistema de som. Uma terceira mesa mc²56, no palco, cuidou dos circuitos de munição de palco, com duas superfícies de controlo separadas para oferecer a máxima facilidade na execução dessa tarefa complexa. Um sistema de splitters passivos permitiu o encaminhamento dos 144 microfones utilizados para uma quarta mesa mc²56, de forma independente, para a mistura do sinal de rádio e televisão. Esta mesa estava instalada numa unidade de produção móvel da Radio France. Certamente uma situação de sonho, para quem lá trabalhou e trabalha nesta área.

É clara a cumplicidade entre a Radio France e a LAWO neste evento tão prestigiante. Cumplicidade refelctida também no entusiasmo demonstrado, a cada ano, por toda a equipa para chegar um pouco mais perto da perfeição. A confiança renovada da Radio France na LAWO é uma clara confirmação das escolhas tecnológicas da empresa, em uma busca constante da excelência, em termos de qualidade e fiabilidade do equipamento.

Pode assistir a um registo integral do concerto aqui e certificar-se da qualidade do evento.

Saiba mais sobre a participação da LAWO neste evento aqui. Fique a saber mais ainda sobre as soluções LAWO que temos para si, contacte-nos.


GHIELMETTI, a precisão suiça

Ao longo dos seus mais de 100 anos de existência, a suíça GHIELMETTI viveu diferentes tempos, testemunhando o nascimento e a morte das tecnologias dominantes no momento. Ao longo desses anos, a empresa também foi forçada a reinventar-se várias vezes. Hoje, como ontem, essa capacidade de adaptação é um factor determinante na manutenção da sua longevidade e a força motriz por detrás do cumprimento da sua missão: fornecer soluções para as indústrias de media e broadcast, produzidas e prontas a funcionar nas condições mais exigentes e nos mais diversos ambientes profissionais. Sempre com precisão suiça.

Os bastidores

A GHIELMETTI foi criada em 1912, na Suíça. Com uma rede mundial de agentes e distribuidores, é uma empresa pioneira, centrada no cliente. Trata-se de um dos principais fornecedores mundiais de soluções personalizadas para as indústrias de media, broadcast e afins. Ao apostar na GHIELMETTI, os clientes beneficiam da uma longuíssima experiência e de um know-how de ponta.

Soluções diversificadas

A GHIELMETTI oferece uma ampla gama de produtos entre comutadores de sinal, patchbays para áudio e vídeo, conversores de impedância e splitters, sistemas de monitorização e teste e uma grande variedade de acessórios para sistemas de áudio e vídeo.

Destaque para os sistemas de comutação de canal, para os sistemas de monitorização e teste e para os seus prestigiados patchbays para áudio e para vídeo.

Soluções à medida

Oferecendo soluções off the shelf, de qualidade de topo, a GHIELMETTI é tabém capaz de fornecer soluções à medida, quando um produto corrente não satisfaz as especificações do cliente. Os engenheiros da GHIELMETTI podem então produzir uma solução adequada, à medida, como é exemplo este projecto desenvolvido para o broadcaster alemão Rundfunk Berlin-Brandenburg. Neste caso, foi concebida, desenvolvida e produzida, uma matriz especial, adaptada às necessidades daquele cliente.

Com centenas de referências de catálogo e uma infinidade de produtos instalados em todo o mundo, a GHIELMETTI é, simultaneamente, um centro de design e de produção, capaz de satisfazer encomendas específicas. Tudo isto graças também a uma actualização constante das suas capacidades de produção.

O exemplo dos sistemas de ligação, (patchbays, analógicos e digitais, para áudio e vídeo,) é particularmente significativo. Estes produtos são particularmente reconhecidos em todo o mundo pela sua fiabilidade e longevidade. Ora, a GHIELMETTI tem a capacidade de oferecer uma solução individual, adaptada às necessidades especiais dos clientes. Estas soluções, aliadas ou não aos produtos do catálogo GHIELMETTI proporcionam um sem número de possibilidades.

Saiba mais sobre a GHIELMETTI Solutions AG e fale connosco para ficar a saber mais ainda ou para criarmos uma solução para as suas necessidades específicas.


To be or not to be…

A Royal Shakespeare Company (RSC) é uma companhia de teatro de renome mundial, cuja actividade se centra sobretudo na obra do dramturgo William Shakespeare. Ocupa o espaço em Stratford-upon-Avon, o Royal Shakespeare Theatre, onde outrora se ergueu o Shakespeare Memorial Theatre, destruído por um incêndio no século XIX. Tradição, património, respeito pelo legado do génio dramaturgo inglês e uma rigorosa disciplina de trabalho, são alguns dos ingredientes com que nos confrontamos quando olhamos para a actividade da RSC. A intercomunicação num espaço como o Royal Shakespeare Theatre, é uma questão vital, que tem de respeitar os valores do património artístico e arquitectónico que ali se pretende preservar, mas que tem de responder a exigências do século XXI. A solução para a intercomunicação no Royal Shakespeare Theatre recaiu sobre uma solução RIEDEL, à semelhança da escolha que outros grandes espaços fizeram, um pouco por todo o mundo. Valorizar e respeitar a tradição com tecnologia concebida para responder aos desafios de hoje e do futuro, sem ferir essa tradição.

Um pouco de história

A Royal Shakespeare Company (RSC) foi fundada em 1961 por Peter Hall e ocupa o Royal Shakespeare Theatre inaugurado em 1931. O novo edifício, chamado na altura New Shakespeare Memorial Theatre, foi erguido no espaço, junto ao Rio Avon, do antigo Shakespeare Memorial Theatre, inaugurado em 1879, em Stratford-upon-Avon, cidade natal de Shakespeare, depois deste ter sido destruído por um incêndio. O Royal Shakespeare Theatre foi, por sua vez, objecto de uma profunda renovação entre 2007 e 2010, parte de um projeto de transformação que custou 112,8 milhões de libras e incluiu a criação de um novo auditório com mais de 1040 lugares, que aproximou actores e público, com a distância dos lugares mais distantes do palco a ser reduzida de 27 m para 15 m. O projecto também incluiu melhorias no Swan Theatre, a criação de uma série de novos espaços públicos, incluindo um novo Riverside Cafe e Rooftop Restaurant, uma torre de observação de 36 m e melhores condições de bastidores para os actores e equipa.

A intercomunicação é uma ferramenta crucial num teatro como o Royal Shakespeare Theatre, uma ferramenta absolutamente vital para uma actividade multidisciplinar, que envolve equipas muito diversificadas, funcionando em espaços muito amplos e distanciados uns dos outros. E como acontece frequentemente neste género de espaços, o equipamento que sempre foi usado, com base em tecnologia tradicional, foi-se revelando com o avançar do tempo, inadequado, senão mesmo totalmente obsoleto. Por outro lado, este género de espaços apresenta um conjunto específico de obstáculos físicos e, não raras vezes, o seu carácter patrimonial e significado histórico condicionam fortemente intervernções com uma natureza tecnológica mais exigente.

O problema e a solução

Este género de problemas colocou-se, naturalmente, também à RSC.

No momento da mudança, a RIEDEL foi a escolha da Royal Shakespeare Company (RSC) para a instalação de uma nova rede de intercomunicação de matriz digital Artist e um sistema de intercomunicação sem fios Bolero na sua sala principal, o Royal Shakespeare Theatre em Stratford-upon-Avon. Para controlar as produções ao vivo de peças de Shakespeare, dos seus contemporâneos e de artistas vivos no teatro de 1018 lugares, as soluções da RIEDEL substituíram um sistema existente, de interfones com fio de dois anéis.

Na escolha de um novo sistema de intercomunicação, as principais prioridades da RSC foram a fiabilidade, a qualidade de som e a facilidade de uso. Vários sistemas de intercomunicação sem fio foram testados sem sucesso e, depois de analisar várias outras soluções, a escolha reacaiu na RIEDEL. No centro do novo sistema RIEDEL do Royal Shakespeare Theatre está uma rede baseada no Artist-128, equipado com seis cartões de cliente AES67-108, dois Dante-108 e um GPI-116. A plataforma Artist integra-se perfeitamente com o sistema de intercomunicação sem fios Bolero, que consiste em seis antenas e 40 unidades de cinto sem fio. Com o sistema Bolero, não há necessidade de passar cabos para interfones de dois fios, o que economiza tempo de configuração para acelerar o fluxo de trabalho. Além disso, as unidades de cinto individuais podem ser configuradas de forma rápida e fácil para diferentes utilizadores, e o sistema oferece uma qualidade de som superior e conectividade perfeita às várias antenas. Os SmartPanels da série 1200 compelatm o sistema, que será alargado aos outros espaços do complexo do Royal Shakespeare Theatre.

Bolero
Artist 128

Para uma companhia de teatro com o estatuto da RSC, a solução de intercomunicação teria de estar à altura. E é a RIEDEL que o garante.

Saiba mais sobre este projecto aqui. Saiba mais sobre os vários modelos Artist aqui e sobre o Bolero aqui. Fique a saber mais ainda sobre esta e outras soluções RIEDEL falando connosco.


Bolero na Comédie Française

No espaço onde funciona a mais velha companhia de teatro do mundo, a Comédie Française, funcionava também um velho sistema de intercomunicação, UHF, sem fios. Perante a necessidade de atender a novos desafios e perante a actividade imparável da companhia, o velho sistema de intercomunicação tinha de ser substituído. As especificações para o novo sistema eram simples: fornecer à histórica companhia de teatro uma configuração rápida e flexível, que assegurasse uma operação fiável e uma qualidade de áudio impecável. A escolha para garantir estes critérios não podia ser outra: o Bolero da RIEDEL.

Os números são impressionantes. As exigências de funcionamento são extremas. Todos os dias, na sua Salle Richelieu, com 860 lugares, a Comédie-Française – a histórica instituição cultural francesa, também conhecida como La Maison de Molière – realiza até três mudanças de cenário, para ensaios e para o espectáculo da noite. Isto obriga a um funcionamento do seu sistema de intercomunicação durante 8 a 10 horas por dia. Perante este tipo de pressão, robustez e fiabilidade do equipamento são cruciais. Além disso, com uma rotação de 160 técnicos, a companhia exige mudança de configurações sem esforço, entre os utilizadores. Por outro lado, a Salle Richelieu tem mais de 230 anos. Tal como sucede em muitos outros edifícios desta natureza, espalhados pelo mundo e também, naturalmente, em Portugal, qualquer nova tecnologia exige uma instalação que não altere ou danifique o património arquitectónico, frequentemente classificado.

Perante este panorama, e perante a necessidade de substituir o obsoleto sistema de intercomunicação UHF, sem fios, tornava-se imperioso definir novas especificações, que satisfizessem as novas exigências. Por tudo isto, a Comédie Française escolheu o sistema Bolero da RIEDEL, que fornece à histórica companhia de teatro uma configuração rápida e flexível, garantindo uma operação fiável e um sinal áudio de primeira qualidade. O Bolero Standalone Application – uma actualização possível por licença para o sistema – oferece simplicidade, plug-and-play, diz-se. Permite, por exemplo, que até 100 antenas e unidades de cinto sejam facilmente configuradas por meio de um browser, sem a necessidade de uma matriz de intercomunicação. Actualmente, a Comédie Française utiliza 30 unidades de cinto sem fio Bolero e cinco antenas estão implantadas por toda a Salle Richelieu, para uma cobertura completa.

Com características únicas, tecnologia avançada, configurações de instalação diversificadas, capazes de se adaptarem às mais complexas situações e com a proverbial robustez, fiabilidade e flexibilidade, o Bolero da RIEDEL é, sem margem para dúvida, o sistema de intercomunicação mais poderoso, fiável e avançado do mercado.

Segundo Patrick Moch, Director Técnico Adjunto da Comédie Française, o sistema Bolero da RIEDEL foi a escolha perfeita. “Não só o sistema provou ser extremamente fiável, como, por se tratar de uma solução descentralizada, instalá-lo no nosso edifício histórico foi muito fácil. Tudo o que tivemos que fazer foi colocar as antenas onde precisávamos para uma cobertura completa, sem necessidade de matriz. E com a capacidade de ligar até 10 unidades de cinto a cada antena, conseguimos reduzir o número de antenas necessárias em mais da metade, quando comparado com outras soluções. Além disso, os nossos técnicos adoram a possibilidade de construir perfis de configuração personalizáveis, que simplificam a troca de configurações entre diferentes utilizadores.”

No futuro, o carácter modular do sistema permitirá que a companhia adicione mais unidades de cinto, uma matriz Artist ou SmartPanels, quano se verificar a sua necessidade e à medida que as condições de funcionamento evoluirem, o que protege o investimento na solução Bolero do desafio do futuro.

Saiba mais sobre o projecto da Comédie Française aqui. Saiba mais sobre o Bolero e outras soluções RIEDEL de intercomunicação. Venha falar connosco para mais informações sobre este equipamento e sobre a forma como poderemos satisfazer as suas necessidades de intercomunicação.


Novidades da 360 Systems

Fundada em 1972, a 360 Systems especializou-se no desenvolvimento de tecnologia para as indústrias do broadcast, do entretenimento e do AV profissional. A missão da 360 Systems é fornecer produtos de alto valor, que contenham os recursos necessários, a custos muito mais baixos. Muitas das novidades concebidas por este fabricante pioneiro, tornaram-se standards da indústria. Exemplo disso é a introdução dos leitores digitais tais como o DigiCart® em 1990, que constituiu uma revolução e se tornou uma das referências da marca americana. Na linha desse design original, fruto de constante pesquisa e melhorias do hardware e software introduzidas ao longo dos anos, surgem agora dois novos modelos, que tornaram o bom ainda melhor: o Digicart EX e o Instant Replay3. A solução certa de leitores digitais para aplicações profissionais.

Instant Replay 3

O Instant Replay 3 da 360 Systems foi desenvolvido para técnicos criativos que precisam de resposta rápida, operação intuitiva e áudio de alta qualidade, no contexto dos modernos fluxos de trabalho. É um leitor de clips de áudio completamente independente numa única unidade. Ao contrário dos PCs, o Instant Replay 3 possui botões físicos, funcionando de forma integrada e robusta, para feedback táctil e imediato, e uma operação fiável durante a reprodução do áudio.

A simplicidade tem sido um ponto forte do modelo Instant Replay desde que foi lançado em 1995. Esta última versão leva esse ideal ainda mais longe. Os controlos diretos e a simplicidade na configuração e operação proporcionam um produto autónomo, completo. Ideal para eventos live, teatro, concertos, etc.. Sem partes mecânicas, a operação é praticamente silenciosa, tornando o Instant Replay 3 ideal para o uso em estúdio. Grava e reproduz áudio diretamente de e para a memória interna. Permite fazer edições simples e atribuir cada clip rapidamente a qualquer uma das 50 teclas de atalho, em qualquer um dos 50 bancos. Resultado: até 2500 clips de áudio, disponíveis para reprodução imediata. O Instant Replay 3 permite a criação de listas de reprodução individuais ou, através do recurso Hot List, a criação rápida de uma lista de conjuntos de teclas de atalho definidas pelo operador. O Instant Replay 3 continua a tradição de qualidade de áudio da linha Instant Replay original, com entradas e saídas analógicas e digitais profissionais. O Instant Replay 3 pode reproduzir áudio da mais alta qualidade, imediatamente. A adição de um módulo opcional Dante® permite entrada ou saída de áudio, via Ethernet, para outros dispositivos conformes àquela norma.

O Instant Replay 3 tem capacidade de armazenagem de centenas de horas de áudio, um sistema muito intuitivo de gestão de ficheiros, uma grande robustez e enorme facilidade de operação.

É uma unidade ideal para aplicações em expectáculo de teatro, dança, música e outros eventos com grandes exigências de operação e qualidade. Poderá ler mais sobre o Instant Replay 3 aqui.

DIGICART EX

O gravador de áudio Ethernet DigiCart EX da 360 Systems continua uma história de 20 anos, como primeira escolha para spots de áudio em broadcast. O DigiCart EX é mais do que uma melhoria no conceito original do DigiCart®: é um sistema de áudio Ethernet de alto desempenho para áudio integrado.

O DigiCart EX é o sistema de leitor digital mais avançado da indústria de broadcast. Com base no design comprovado das referências da indústriado, DigiCart II e DigiCart/E, o novo DigiCart EX oferece inúmeros melhoramentos, muito significativos, como leitor de cartões de memória SD, port Ethernet Audio da 360 Systems, áudio de 24 bits, em formato WAV, entrada de sincronização separada, gtande ecrã, unidade de armazenamento interno maior e muitos outras importantes características. Mas a característica principal do novo DigiCart EX é a possibilidade de ligação com a rede via Ethernet Audio™. Esta ligação Ethernet de 100 Mb permite transferências de ficheiros, reprodução pela rede e gravação numa unidade de rede, com a tecnologia Bit-for-Bit™.

O DigiCart EX possibilita ainda o acesso instantâneo ao áudio e reprodução de qualquer lugar. A operação é familiar aos utilizadores do DigiCart II, com possibilidade de intercâmbio de ficheiros, em formato nativo WAV. A gravação e reprodução podem ser feitas a partir de unidades locais ou a partir de um servidor, em rede. O DigiCart EX possui teclas de atalho, para reprodução instantânea e guarda até 10 000 clips de áudio, armazenados na memória interna. O interface Ethernet tem capacidade de transferência de 100 Mb/s para o servidor de ficheiros de rede. Possui ainda um leitor de cartão de memória SD interno.

O DigiCart EX tem também um ecrã LCD grande para texto, de 40 caractéres, conversores A/D e D/A de 24 bits e junta, como opção, o formato Dolby AC-2. I/O digital AES/EBU em fichas XLR-3 e digital AES-3-ID 75Ω ou IEC-958 Tipo II (consumidor) em fichas BNC. Entrada/saída analógica de +4 dBu, em fichas XLR-3. Ajustes de nível de saída. Medidores de nível de LED, com indicação de clipagem. As fontes de sincronização incluem cristais internos, AES-3, S/P DIF, AES-11. O DIgicart EX é particularmente adequado ao broadcast, rádio e TV, mas é susceptível de ser utilizado noutras aplicações. A si, a escolha. Estas apenas algumas das características do DigiCart EX. Mais informações sobre este modelo aqui.

O Instant Replay 3 e o DigiCart EX representam uma nova geração de leitores digitais profissionais, perfeitamente adaptados à evolução tecnológica e aos novos fuxos de trabalho, e são capazes de responder às maiores exigências dos profissionais de hoje. Para ficar a saber mais ainda sobre estes dois modelos e outros produtos da 360 Systems, contacte-nos.


Broadcast e IP

A internet operou uma profunda revolução no universo do broadcast. Fê-lo em dois passos. Do primeiro, resultou a integração dos média e a articulação da gestão de plataformas, com consequências profundas na criação e distribuição de conteúdos. Esta fase decorre há já algum tempo e é hoje uma realidade pacífica e amplamente aceite. Um segundo passo é aquele a que assistimos neste momento: os equipamentos “falam” uns com os outros, através do protocolo IP. A extensão deste protocolo aos equipamentos e espaços envolvidos na produção, permitiu a sua gestão e operação de forma integrada, agilização de fluxos de trabalho, aumento da qualidade e diminuição de custos. É nesta fase que nos encontramos hoje. Não admira, pois, que diariamente assistamos à remodelação de operações de broadcast e outras, com base no protocolo IP e à respectiva reconversão de equipamentos, integral ou faseada. O objectivo é um só: não perder o comboio da revolução em marcha inexorável. A LAWO tem sido uma marca absolutamente incontornável neste processo. O caso mais recente que aqui vos trazemos é o da agência de notícias marroquina Maghreb Arabe Press.

Um dos estúdios da MAP

O protocolo IP

O protocolo IP, aplicado ao broadcast, refere-se ao processo de transmissão que é enviado para todas as estações de uma LAN. Existem dois tipos de endereços de broadcast IPv4: broadcast limitado e broadcast direcionado. No limitado, o tráfego é encaminhado para esses endereços através de um roteador, ao contrário de uma transmissão direcionada. No caso do direcionado, o tráfego para esses endereços pode ser enviado de redes remotas, ou seja, pode ser dirigido. A adopção do protocolo IP pelo universo do broadcast tem vantagens incomparáveis. O assunto é vasto, mas podemos resumi-lo nestes três simples pontos: o protocolo IP simplifica as operações, proporcionando a criação de uma equipa comum; permite que novos serviços sejam adicionados de forma dinâmica e económica por meio da virtualização de funções de rede e dos média, oferece o dimensionamento flexível de serviços, proporcionando, portanto, o uso mais eficiente de recursos de computação e processamento. Sinal de áudio e video, dados e intercomunicação circulam de forma integrada nas redes locais e todo este processo é expansível, local ou remotamente, de forma global, e generalizável a todas as etapas da produção.

Maghreb Arab Press (MAP)

Com base nestes princípios, aqui muito sumariamente expostos, os fabricantes têm vindo a desenvolver equipamentos que colocam nas mãos do utilizador as vantagens do novo paradigma e assuguram uma transição se, sobressaltos para a revolução prometida. Na vanguarda indiscutível deste movimento está a LAWO, com longo historial neste sector.

A LAWO na vanguarda

A LAWO está desde a primeira hora no lugar cimeiro da concepção e fornecimento de equipamentos baseados no protocolo IP. O seu impacto estende-se tanto a novas estruturas de broadcast, criadas de raíz e montadas já com o novo paradigma na base, mas também a estruturas tradicionais que pretendem fazer a migração técnica das suas operações de modo faseado. São inúmeros os exemplos, quer no plano internacional quer em Portugal, de aplicação da tecnologia LAWO a operações de broadcast assentes no protocolo IP.

Acrescente-se que não são só as estruturas que operam no domínio do broadcast que enveredam por esta reconversão. Também estruturas fixas ou móveis, como o live, teatros e outras salas de espectáculo, museus, espaços desportivos e de culto, têm vindo a operar reconversões semelhantes.

Vale a pena referir um recente exemplo, vindo de um país vizinho: Marrocos.

Um exemplo recente

Maghreb Arabe Presse (MAP) é a agência de notícias estatal de Marrocos. Foi fundada a 31 de maio de 1959 e nacionalizada em 1973. Tem sede em Rabat. A agência tem serviços internacionais oficiais em cinco idiomas e tem escritórios em mais de 20 cidades espalhadas pelo mundo, incluindo Lisboa. A agência engloba uma área de notícias em contínuo de rádio e televisão, RIM e M24, dois jornais diários em francês e árabe, Maroc Le Jour e Al Yaoum Al Maghribi, revistas mensais, BAB, cerca de vinte sites de notícias, doze sites de notícias regionais e outros.

Modelo ruby

Recentemente a MAP foi objecto de uma extensa actualização técnica, que abrangeu três estúdios de rádio e dois estúdios de televisão, totalmente baseada em tecnologia IP desenvolvida pela LAWO. A escolha para esta operação recaiu na marca alemã graças ao fluxo de trabalho de base IP das mesas de mistura da empresa, que permitem aos operadores aceder a todas as fontes de áudio disponíveis na rede a qualquer momento. É um pormenor especialmente importante porque o MAP difunde os seus programas internacionais em árabe, inglês, francês, espanhol e tamazight (a língua do povo berbere.)

A sofisticada solução AoIP de rádio da LAWO permite uma operação rápida e um ambiente de trabalho fácil para todos os intervenientes. As mesas ruby de ambas as salas de controlo foram escolhidas pela sua eficácia e qualidade de áudio, e seu fluxo de trabalho. As mesas permitem alternar rapidamente entre as diferentes salas de controlo e escolher os ambientes desejados em tempo recorde, seja transmitindo ao vivo ou gravando para uso posterior. Também permitem integrar os três estúdios ao mesmo tempo durante uma única transmissão. Além das mesas de mistura ruby, os estúdios de rádio da MAP estão equipados com unidades Power Core DSP e unidades de I/O. Estas estão colocadas nos estúdios com cabines de voz adjacentes, que interligam os estúdios com o estúdio principal do MAP, mediante o simples premir de um botão.

Saiba mais sobre a transformação ocorrida no MAP aqui. Saiba ainda mais aqui, aqui e aqui. Aqui poderá ficar a saber mais sobre a LAWO e as suas soluções, e se quiser ficar a saber ainda mais sobre elas, consute-nos.


Liverpool Philharmonic escolhe BOLERO

A Royal Liverpool Philharmonic é um instituição fundada em 1840, um marco no panorama da música no Reino Unido. Um espaço de arquitectura tradicional, onde decorre uma actividade extremamente intensa e diversificadada, com os problemas de produção inerentes a um centro de cultura com estas características e dimensão. A qualidade da intercomunicação é um desses problemas, um tema absolutamente vital para este tipo de actividade. Para além dos padrões de qualidade exigíveis, a Philharmonic é, naturalmente, um espaço com necessidades específicas nesta matéria. A RIEDEL acaba de ser reconhecida como a solução capaz de satisfazer estas necessidades. Um sistema Bolero equipa agora a icónica sala de Liverpool.

Fundada em 1840 por um grupo de melómanos de Liverpool, a Royal Liverpool Philharmonic é uma das sociedades de concertos mais antigas do mundo e, ao longo da sua história, esteve no centro da vida cultural de Liverpool. No decurso de uma extensa história, que constitui um importante marco cultural do Reino Unido, e no meio de um riquíssimo e diversificado programa, que inclui a apresentação de quase 400 concertos e eventos por ano no Liverpool Philharmonic Hall, decorre igualmente um trabalho participativo com jovens e outros pertencentes à comunidade de Liverpool. Mais de 350 000 pessoas assistem, em cada ano, a toda esta intensa actividade. que inclui apresentações da Royal Liverpool Philharmonic Orchestra – a mais antiga orquestra sinfónica profissional em actividade no Reino Unido – e uma programação diversificada de artistas de classe mundial, do clássico, ao pop, à comédia, ao cinema passando pela palavra falada. Dado curioso: a Liverpool Philharmonic possui a maior colecção de sinos de igreja de qualquer orquestra do Reino Unido, 14 no total, o que permitiu, por exemplo, que a Orquestra fosse a primeira do Reino Unido a executar a Sinfonia Fantástica de Berlioz com os sinos graves correctos, conforme originalmente especificado pelo compositor.

Um lugar com tão forte e longa tradição, com uma actividade tão intensa e multifacetada e com características físicas tão distintas, exige, para o seu sistema de intercomunicação, uma solução robusta, de qualidade de topo e à prova de todos os imponderáveis. É por isso que muito recentemente a Royal Liverpool Philharmonic optou por uma solução RIEDEL.

O sistema Bolero da RIEDEL oferece à Liverpool Philharmonic uma configuração rápida e flexível, garantindo operação fiável e uma qualidade de áudio cristalina. A condizer, dir-se-ia, com os sons dos sinos. O Bolero Standalone Application – uma actualização para o sistema, disponível mediante licença – oferece a simplicidade de uma solução plug-and-play, permitindo que até 100 antenas e beltpacks sejam facilmente configurados por meio de um browser, sem a necessidade de uma matriz de intercomunicação.

Bolero da RIEDEL

Actualmente, a Liverpool Philharmonic utiliza quatro beltpacks Bolero, de seis teclas e duas antenas sem fio, em todo o hall. Além disso, 15 beltpacks digitais adicionais, com fio, com quatro estações de auscultadores, são adicionados ao sistema através da Interface do Performer C44plus da RIEDEL. Os auscultadores usados ​​com os beltpacks são do modelo Max, de alto desempenho. Projectado para ambientes com elevados níveis de ruído ambiente, os auscultadores Max apresentam excepcionais capacidades de atenuação e uma proteção auditiva ideal. Em breve, o sistema Bolero da Liverpool Philharmonic permitirá uma maior expansão, que integrará tecnologias adicionais, como os sistemas de paginação de back e front-of-house do Hall.

Os sistemas de intercomunicação Bolero, sendo ajustáveis para quaquer espaço, tornam-se, pelo seu próprio conceito, especialmente adequados a espaços clássicos, com configurações topológicas complexas, onde as novas tecnologias são muitas vezes dificeis de implementar, que tornam outro sistemas praticamente inutilizáveis. Para além dos maiores índices de desempenho, da qualidade, da facilidade de operação e da adequabilidade aos espaços, os sistemas de intercomunicação RIEDEL oferecem a capacidade de integração com outros sxistemas de distribuição de sinal áudio, vídeo e de dados da RIEDEL, constituindo matrizes integradas de um poder, capacidade e qualidade sem paralelo. Uma razão para que as soluções RIEDEL mereçam a escolha dos maiores eventos, dos maiores broadcasters e dos maiores espaços de entretenimento do mundo.

Veja mais sobre o sistema da Royal Liverpool Philharmonic aqui. Saiba mais sobre os sistemas de intercomunicação da RIEDEL aqui. Se pretende saber mais ainda, contacte-nos e fique a saber que soluções lhe poderemos oferecer para as suas aplicações e necessidades específicas


A casa dos sonhos

A Ópera de São Francisco (SFO) foi reconhecida como uma das companhias de ópera líderes do mundo, desde a sua fundação em 1923. A SFO continua a ser uma instituição artística essencial por via da sua programação e inovações introduzidas. Destaque para o uso de meios digitais, programas de enorme qualidade no campo da formação artística e para a política de encomendas para expansão do repertório operático. A histórica War Memorial Opera House , o símbolo, por assim dizer, da SFO, inaugurada em 1932, acaba de concluir uma actualização técnica para uma infraestrutura completa de áudio sobre IP. Fê-lo com duas mesas de produção LAWO da série mc² e equipamento relacionado, unificando os sistemas de produção de áudio do teatro e concluindo assim um projeto com raízes que remontam há quase 7 anos.

A prestigiadíssimo San Francisco Opera é uma instituição chave no panorama artístico do Estados Unidos. Conhecida por cativar o público de São Francisco desde 1923, tornou-se um símbolo da grande ópera, conhecida também por encomendar várias estreias mundiais, treinar alguns dos maiores jovens artistas da ópera e ser uma das companhias de ópera líderes do mundo.

A LAWO não é propriamente novidade para esta SFO, que adquiriu a sua primeira mesa da marca alemã, uma mc²56 MKII, em 2015, para uso na pós-produção. Foi um bom campo de testes, já que a equipa técnica da SFO olhava para o futuro, planeando já a substituição de uma mesa anterior, sem rede, que usavam na altura.
Ter uma componente tão importante do equipamento fora de serviço não era aceitável. Os requisitos básicos para as novas mesas eram simples. Primeiro, as mesas precisavam de ser equipadas capaz de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz e, segundo, precisavam de possuir a qualidade e as características técnicas que a ópera e a música sinfónica exigem.
Tendo adquirido a mc²56 MKII, com o modelo Nova73 Compact em 2015, para o seu serviço de pós-produção, permitiu uma grande familiaridade com a marca LAWO. Na verdade, a escolha feita em 2015 deveu-se, justamente, ao facto de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz. A SFO usava Merging Pyramix para captura multipista e mistura de pós-produção desde 2007, e interfaces Horus e Hapi AD/DA para todos os microfones remotos desde 2012. Integrar aquele primeiro mc²56 MKII na sua infraestrutura permitiu muito criar um sistema de conectividade mais simples. A transição decorreu sem qualquer problema.

Com a presente actualização a SFO procurou atingir dois objectivos. O principal era reunir as instalações de áudio ao vivo, de transmissão e de pós-produção da San Francisco Opera numa infraestrutura de 96 kHz. O sistema inclui uma mesa de produção de áudio mc²56 MKIII com um núcleo A_UHD redundante para a cabine de som no 5º andar, nos bastidores. Junto com caixas de palco A__stage64 e A__madi6, um processador de vídeo Lawo V__pro8 e um Power Core RP com controle remoto VisTool RP, para ensaio e microfones gerais. Ao nível da orquestra, uma mesa de produção de áudio mc²36 MKII fornece som FOH. O backbone do sistema é gerido por dois switches Arista 7020.
Um segundo objetivo, era o de integrar a mesa FOH com a mesa de som principal, uma vez que as duas novas mesas compartilham agora todas as fontes. As saídas alimentam dois DirectOut Prodigy.MP, via RAVENNA, antes da distribuição espacial do som.

Um outro grande desafio com o equipamento anterior era a falta de DSP, que exigia muito equipamento de processamento externo . Uma vez que já estava instalada anteriormente a infraestrutura AoIP com a primeira MESA LAWO, foi fácil substituir as antigas stageboxes pelo modelo A__stage64, usando a cablagem existente e adicionando um Arista 7020 para ligar as mesas, núcleos A_UHD, unidades A__stages64, A__madi6 e o Power Core.

Por outro lado, a SFO partilha o teatro com o San Francisco Ballet, e ambos têm necessidades semelhantes, mas com algumas especificidades importantes. As mudanças necessárias foram, no passado, sempre bastante complicadas e demoradas, pois exigiam muitas alterações profundas do patch bay. Agora, finalmente, o sistema é grande e flexível o suficiente para que tudo o que há a fazer é, simplesmente trocar alguns microfones e introduzir um patch diferente na mc²56 MKIII, mc²36 MKII e no Power Core.

Saiba mais sobre este projecto aqui. Saiba mais sobre o equipamento aqui referido aqui. Fique a saber mais ainda sobre a LAWO e as suas soluções falando connosco.


HV-3D, as 8 vias para a excelência

A Millennia é uma marca de referência, quando falamos de equipamento de topo para áudio profissional. O pré-amplificador, modelo HV-3D é a versão de 8 canais do muito bem sucedido e popular pré-amplificador estéreo HV-3C. O HV-3D combina várias vias para minimizar peças mecânicas e eléctricas redundantes. É uma ferramenta que garante total fiabilidade. Uma ferramenta valiosa e útil, independentemente dos caminhos para onde a sua criatividade o leve. O HV-3D da Millennia é o passo certo, o passo que acaba por rentabilizar o seu investimento inicial, assegurando-lhe a captura do áudio mais cristalino, no exterior e em estúdio.

HV-3D

Os pré-amplificadores de microfone ampliam o sinal de entrada 1000 vezes. Não há undo para além deste ponto. Coloração ou distorção tornam-se parte do sinal. As informações perdidas nunca poderão ser recuperadas. Plug-ins digitais não podem “descolorir” o som ou restaurar parciais harmónicos superiores, perdidos. Algoritmos de compressão de dados (MPG, AC3, DTS etc.) não são capazes de distinguir sinal de ruído, portanto, preservar a clareza e integridade do sinal em todo o processo de gravação e produção é fundamental para comunicar a intenção e a individualidade do som de um músico ou actor. Não importa quão subtil ou atraente é um som de “assinatura”. Esse colorido destrói as opções em cada passo da cadeia. O caminho de sinal aberto e transparente da Série HV-3 definiu o conceito de “alta definição” desde o seu lançamento. Insubstituível em estúdio, mas também no exterior. A gravação em exterior é um número no arame, com apenas uma chance de capturar o momento vivo da performance, no seu ambiente original. A série HV-3 foi projectada para transmitir o sinal dos microfones para dispositivos de gravação, inalterado. Para além de garantir a capacidade de conduzir cabos extremamente longos. Não existe tal coisa como um cabo simples com ganho. Mas as entradas sem transformador da Série HV-3, circuito de áudio balanceado e o design de amplificador mínimo, aproximaram-nos mais do que qualquer outra solução do objetivo de um pré-amplificador: precisão absoluta e realismo sonoro sem compromissos.

Com o HV-3D são estes algumas das características de que vai poder desfrutar:

  • Recuperação de ambiente incomparável.
  • Design sem transformador com transistor de octeto discreto, de alta velocidade, com margem de entrada de +23 dBu, sem “pads” de atenuação.
  • Precisão tímbrica, sem cor, em todos os níveis dinâmicos.
  • Circuito de áudio totalmente balanceado, com componentes de precisão que mantêm a integridade do sinal: THD abaixo de 5 ppm (0,0005%).
  • Desempenho musical excepcionalmente realista e sem esforço.
  • O estágio de saída baseado em FET de precisão, com 32 dB de headroom: alimenta cabos de até 300 m.
  • Controladores de ganho padrão com 36 passos (1,5 dB por passo), estéreo, combinados a 0,08 dB.
  • Fonte de alimentação universal ultralimpa.
  • Terminais de ouro.
  • Chassis de rack de aço soldado.

Um imenso rol de características únicas, aqui definidas sumariamente, que conferem ao HV-3D um lugar de destaque nos maiores estúdios, por todo o mundo. Características que lhe garantiram um conjunto invejável e sem paralelo de prémios, referências e outras distinções.

Saiba mais sobre o HV-3D aqui e venha falar connosco para conhecer mais ainda sobre este equipamento de elite ou para um teste.