O mundo como palco e como estúdio

Imagine um concerto num palco em Sidney. A captação feita in loco, a mistura em Berlim, pós-produção em Toronto e pontos de escuta em Nova Iorque e Lisboa. Agora imagine todo este conjunto de valências a funcionar remotamente, mas em simultâneo. Dentro dos mais altos padrões de qualidade. Com os melhores profissionais a operar o melhor e mais adequado equipamento para cada uma das operações, em cada um desses locais. Sem deslocações e com os custos de transporte de pessoal e equipamentos reduzidos ao mínimo. Imagine as vantagens e os benefícios. Calcule o impacto que isto tem no ambiente. A RIEDEL deu uma ajuda para manter um complexo circuito deste tipo em uníssono, num recente projecto de concerto, gravação, mistura e masterização simultânea. Bem-vindo à produção áudio para o século XXI.

Remote Operations Center (RIEDEL, Wuppertal)

Remote Recording Network (RRN) é uma estrutura especializada em gravação de concertos, Live Broadcast, produção, mistura e masterização remota, e ainda áudio 3D. O seu quartel general é em Solingen, na Alemanha. A sua filosofia de actuação pode ser apreciada aqui.

Recentemente, um novo projecto colocou em marcha uma solução que parece apontar para um futuro sustentável da indústria de produção musical, limitando-lhe o impacto ecológico sem comprometer o nível de qualidade exigível a esta dimensão de trabalho, mas proporcionando um alargamento do impacto artístico sem precedentes. Tratou-se do concerto do cantor Peter Maffay, acompanhado por um grupo de músicos locais no Steintor-Varietè, em Halle, na Alemanha. Trata-se de uma prestigiada e renovada sala, com capacidade para 1000 espectadores, construída em 1889.

Quanto Maffay entrou em palco, para um concerto acústico que teve lugar em 13 de Abril último, uma equipa fazia a captação, enquanto uma segunda equipa misturava no local, usando os recursos do RRN, como FOH remoto, enquanto uma segunda equipa masterizava este resultado remotamente do Studio Boecker, em Colónia. Os vários locais estavam ligados através do Remote Operations Center (ROC), da RIEDEL, em Wuppertal. O ROC, que serve uma variedade de situações de produção, desde eventos das mais variadas naturezas — artística, live broadcast, desportivos, etc. —, constituiu o núcleo central de comunicações e de transmissão de sinal para toda esta operação. Daqui, os engenheiros do ROC monitorizaram as comunicações, configuraram remotamente os diferentes sinais gerados e transmitiram todos os streams que corriam entre a sala e o estúdio. Uma operação complexa e exigente, tornada possível graças à tecnologia RIEDEL.

Studio Bocker

Saiba mais sobre este acontecimento aqui e aqui. Saiba mais sobre a RIEDEL e as suas soluções. Venha conhecer ainda mais falando connosco. Fique a a saber como, juntamente com a RIEDEL, poderemos satisfazer as suas exigências, por mais simples ou complexas que se afigurem. Bem vindo à produção do futuro.


Desporto, pandemia e intercomunicação

Os mais importantes acontecimentos desportivos, à escala mundial, foram cancelados ou adiados. As organizações de campeonatos, jogos e outras provas são operações complexas, de preparação morosa e custosa. O que se avizinha é, no curto prazo, uma acumulação enorme de acontecimentos desportivos que tentarão recuperar calendários e manter compromissos e expectativas. A fase que se segue é a da retoma, com novos figurinos e exigências. Para os agentes e estruturas envolvidos no mundo do desporto, este é um tempo de reflexão, de recuperação e manutenção de estruturas, mas, sobretudo, de preparação do futuro. A RIEDEL é a marca presente nos principais acontecimentos desportivos, que se desenrolam a nível mundial. As suas soluções de intercomunicação são, e vão sê-lo ainda mais no futuro, a espinha dorsal que assegurará o êxito dos eventos desportivo que aí vêm.

2020 ficará marcado na história do desporto, não pelos feitos atléticos alcançados ou pelo sucesso das provas organizadas, mas como o ano que assistiu ao cancelamento de praticamente todas as competições desportivas, por todo o mundo. Os Jogos Olímpicos, o Europeu de Futebol, todas as Ligas nacionais, as principais Maratonas, jogos paralímpicos, jogos de inverno, as provas automobilísticas, incluindo uma Fórmula 1 — cuja edição presente vai decorrer em regime irregular, com algumas provas suspensas, outras adiadas e outras, ainda, a decorrer à porta fechada — enquanto mais de 900 torneios de ténis foram cancelados, segundo anuncia a Federação Internacional da modalidade. Boxe, natação, ciclismo, rugby, golfe, canoagem e um nunca acabar de outras modalidades viram as suas provas suspensas ou adiadas, nalguns casos para 2022.

PERFORMER

O que se vai seguir é um retomar gradual de actividades, nalguns casos em moldes novos, onde naturalmente o papel do broadcast vai ter uma força maior. É tempo de ajustar as condições de produção às novas exigências e aos novos figurinos que se preparam. Todos estarão envolvidos nesta nova fase, agentes desportivos, clubes, federações, ligas, as organizações que asseguram a realização dos eventos e, sobretudo, os broadcasters, que terão de responder a novos desafios.

ARTIST

O potencial da produção assente numa infraestrutura de base IP, já há muito surgia como uma das chaves para um novo paradigma de produção audiovisual Mais do que nunca, esse novo figurino nos surge como a chave do futuro. Rádio e televisão terão de se reajustar, mais rapidamente do que certamente antecipavam, à nova realidade. Um dos elementos fundamentais, porventura, o mais decisivo, que marca este paradigma é o da intercomunicação. A intercomunicação, assente nas novas realidades tecnológicas, revela-se como um elemento tão fundamental, como o eram os elementos tradicionais da produção audiovisual. Grandes estruturas de intercomunicação, de base IP, fiáveis, de qualidade, flexíveis, escaláveis, são hoje uma necessidade, quer sob o ponto de vista tecnológico quer sob o ponto de vista financeiro.

BOLERO

A RIEDEL é líder incontestada des sector a nível mundial. As suas soluções estão presentes e voltarão a estar presentes nos principais palco mundiais do desporto, mas são também a escolha natural em muitos outros sectores, do entretenimento aos hospitais. A Rádio e televisão do Montenegro é apenas o último exemplo, de um broadcaster europeu a optar pelas soluções RIEDEL. Leia aqui mais detalhes.

A oferta RIEDEL para a área da intercomunicação é a resposta para os desafios que se colocam hoje para todo o universo do broadcast, mas não só. PERFORMER, ARTIST ou BOLERO, são algumas das soluções que a RIEDEL põe à sua disposição para enfrentar o desafio da modernidade e do futuro.

Venha falar connosco, para ficar a saber ainda mais sobre tudo o que a RIEDEL pode fazer por si.


Broadcast em tempo de pandemia

A crise originada pela COVID-19 estendeu-se a todos os sectores da sociedade. Também à área do broadcast foram colocados desafios, incluindo os de natureza técnica, a que foi e está a ser difícil dar resposta. A nova geração de equipamentos baseados no protocolo IP constitui uma clara mais valia, que proporciona soluções rápidas e de implementação imediata, num quadro fora do normal, como é o desta crise. A LAWO está na vanguarda dessas soluções, com respostas muito diversificadas, ao nível das exigências do sector.

KQED de S. Francisco (EUA)

Com a crise provocada pela pandemia, sectores houve da actividade económica que foram e estão a ser seriamente afectados. A importância da área da informação e de todo o broadcast, no geral, ganhou ainda mais relevo, uma vez que a necessidade de transmissão de informação se revelou de importância vital e, com o confinamento imposto em todo o mundo, a difusão de conteúdos de diversa natureza tem um papel essencial. Mas este é um momento de grande incerteza, com o aparecimento de obstáculos imprevistos, a que a generalidade dos broadcasters continua a ter dificuldade em responder adequadamente. Sob o plano técnico, o confinamento e o perigo de eventual contágio introduzem problemas de operação a que as soluções tradicionais a que o universo do broadcast recorre não consegue, simplesmente dar resposta adequada. Como se resolve o problema do tele-trabalho, como se controlam equipamentos, se gerem estúdios, como se consegue obter um fluxo de funcionamento, o mais normal possível, dentro dos padrões exigíveis?

Não há, neste quadro actual inesperado, uma solução milagrosa, testada e pronta a funcionar, mas qualquer tentativa de ultrapassar os problemas que hoje se colocam, passa, inevitavelmente, e passará no futuro, pela adopção de soluções baseadas no protocolo IP.

NOVA 73

Um exemplo do planeamento atempado e de resolução adequada dos problemas técnicos que uma crise como a desta pandemia trouxe ao universo do broadcast, vem dos EUA. A estação KQED, de S. Francisco, afiliada da NPR, tem presença na Rádio, TV e na internet, nomeadamente nas redes sociais. Depois de observar as dificuldades pelas quais passa a generalidade dos operadores de broadcast do seu país neste contexto, os técnicos da KQED encontraram, juntamente com a LAWO, as soluções técnicas adequadas à manutenção do seu funcionamento em momento de crise. Tratava-se, neste caso, de assegurar o controlo remoto e o acesso à régie central e os outros 3 estúdios de produção. Como assegurar o acesso remoto e continuar a trabalhar numa situação de confinamento do pessoal? A solução encontrada baseia-se em conversores CANBus-to-IP que comunicam com o router NOVA73 da LAWO. Daí é possível o controlo total das consolas sapphire existentes. Uma segunda parte do projecto consistiu em criar um estúdio virtual baseado numa solução com ecrãs tácteis, que permitem um controlo total usando o VisTool GUI Building software da LAWO. Esta solução deu acesso a ligação remota via IP dos estúdios, situados em diferentes pontos da cidade, proporcionando assim completo acesso de todas as funções e recursos das mesas dos 3 estúdios, incluindo codecs, o sistema VoIP de telefone, e o playout, para além do talkback e dos canais mix-minus.

Leia mais sobre esta solução aqui. Venha falar connosco para saber tudo sobre as soluções mais adequadas às suas necessidades.


SPIRE STUDIO, e o resto é história

Até há á 48 anos, a possibilidade de registar múltiplas pistas num mesmo gravador, fora de um estúdio, estava reservada a apenas alguns privilegiados. Com alguns truques, era possível enganar a máquina e gravar uma pista de áudio sobre outra previamente gravada. O processo era mais barato, mas moroso e a qualidade permitia, no máximo, esboçar grosseiramente uma nova música ou arranjo. Depois apareceram os portastudios. E depois veio o digital. Hoje o estúdio acompanha-o, para onde quer que se desloque, com uma qualidade que nem as despendiosas máquinas de estúdio conseguiriam atingir. O SPIRE STUDIO da iZotope é uma destas novas máquinas, a mais poderosa desta linha. Um estúdio inteiro numa pequena caixa que você guarda na mochila.

Os primeiros gravadores multipista surgiram em 1955, fruto da ideia de Les Paul. Esse mesmo, que deu nome à famosa guitarra da Gibson. Um feito conseguido pela Ampex, a primeira a produzir estas máquinas de 8 pistas. Antes dos gravadores multipista, uma gravação requeria a presença simutânea de todos os músicos e cantores intervenientes, e qualquer engano significava ter de refazer a gravação do início. A gravação multipista introduziu uma revolução no mundo da música. Mas não só. Também no cinema, por exemplo, o trabalho de montagem síncrona da banda sonora — que envolvia até então o uso de uma máquina, gravador ou giradiscos, por cada pista de áudio e complicadas operações de bouncing — ficou enormemente facilitado. A gravação multipista significou uma profunda revolução na produção áudio.

Ampex 8 track de Les Paul

A captação síncrona de vários instrumentos era assim o privilégio reservado a quem podia comprar ou alugar uma máquina cujo preço original rondava os $10,000. Caras, pesadas, de difícil e delicada manutenção. Técnicas como o sound-on-sound permitiam gravar vários instrumentos, desligando a cabeça de desgravar e sobrepondo as gravações. Um processo análogo à múltipla exposição de um negativo, no mundo da fotografia. Na verdade estes processos — que davam resultados de má qualidade — antecederam a gravação multipista, mas continuaram a ser usado na esfera amadora e em certas formas de arte sonora. É em 1972 que surgem os primeiros gravadores multipista em cassete, que ficaram conhecidos como portastudios. De qualidade, naturalmente, inferior aos gravadores de fita profissionais, mas muito mais acessíveis e permitindo a obtenção de uma qualidade, de longe, superior à que seria possível usando métodos como o sound-on-sound ou semelhantes. O uso destes gravadores, que constituiram sucessos de vendas para a Fostex e para a Tascam, estava ainda reservado à produção de maquetas ou ao esboço de orquestrações. Até que em 1981, Bruce Springstein usou maquetas, produzidas num destes gravadores directamente no seu álbum Nebraska. Foi o triunfo definitivo do portastudio e deste conceito, O sucesso do álbum ajudou a catapultar o prestígio do gravador multipista de cassete.

Tascam 4 track mod. 144

Depois disso, o desenvolvimento da tecnologia, em particular das cassetes, permitiu o aumento de número de pistas. Entretanto, inicia-se a revolução do áudio digital, com o aparecimento de formatos como o DAT e mais tarde a gravação para disco rígido. A digitalização permitiu o aparecimento de equipamentos cada vez mais compactos, com maior qualidade e com cada vez mais funções associadas, custando uma fracção do preço dos equipamentos anteriores. Abriram também as portas à gravação e montagem não linear e a uma comunicação entre equipamentos mais simples e eficaz.

É no culminar deste processo que surge o SPIRE STUDIO da iZotope, a expressão última de todo este conceito de estúdio portátil. Este é o modelo mais compacto, versátil e poderoso estúdio multipista digital disponível no mercado.

Spire Studio da iZotope

O SPIRE STUDIO detecta o instrumento e automaticamente calibra o seu nível de entrada, ajustando a sua curva de resposta para lhe dar o necessário destaque na mistura final. Permite gravar e misturar até oito pistas e publicar de imediato.O SPIRE STUDIO combina o hardware da mais alta qualidade com o software de topo da iZotope, numa pequena unidade, muito flexível e totalmente protátil, pronta a entrar em acção onde quer que dela necessite. Através da sua função soundcheck o SPIRE STUDIO detecta o tipo de sinal de entrada e ajusta os seus parâmetros internos para produzir o melhor sinal possível. Os sinais podem vir dos seus parceiros da banda, no seu local de ensaio, numa apresentação pública, local ou remotamente. Com gravação directa ou através de uma rede wireless. Depois de tudo registado, a sua outra função enhance — um exclusivo que provém directamente do OZONE, o software de referência, para mistura e masterização, da iZotope — vai-lhe permitir polir os seus sons antes de eles poderem ser conhecidos pelo mundo.

Veja todas as características do SPIRE STUDIO aqui. Leia aqui um outro artigo sobre este modelo. Veja aqui diversos videos. Contacte-nos para saber mais ainda sobre esta notável ferramenta e outros produtos iZotope.


Os gémeos do futuro

Acabam de ser entregues à RTBF (Radio-télévision belge de la Fédération Wallonie-Bruxelles), dois carros de exteriores, idênticos, que constituem o que de mais avançado existe neste momento no mundo, no que diz respeito a este tipo de recursos. Estes carros gémeos são dois pilares centrais sobre os quais vai assentar a nova Media Square que a estação pretende implementar. A tecnologia LAWO constitui o eixo principal da solução tecnológica em que assenta o funcionamento destes carros.

Detalhe do novo carro de exteriores da RTBF

A Radio-télévision belge de la Fédération Wallonie-Bruxelles (RTBF), é a estação pública francófona da Bélgica. A actividade da RTBF estende-se pelos seus 4 canais de televisão, nove de rádio, presença na web e nas diferentes redes sociais. A sua produção é muito diversificada e pode ser apreciada, quer dentro das fronteiras do país quer internacionalmente.

Dotada de uma importante infraestrutura tecnológica, a RTBF acaba de ver alargada a sua capacidade significativamente com a aquisição de dois super carros de exteriores. Totalmente iguais, com a tecnologia mais avançada disponível hoje e virados para o futuro.

A base dos carros assenta numa infraestrutura de rede Arista de 100 Gbps, sobre a qual funciona a plataforma V__matrix C100 da LAWO. Tudo isto para proporcionar sinal de vídeo e áudio no formato SDI e IP, sua distribuição e processamento, controlo e monitorização processados pelos sistemas VSM, vSNMP, vsmSOUL e vsmGear, também da LAWO. Veja tudo sobre estes sistemas de controlo aqui. Mesas mc²56 completam este conjunto de equipamento.

O sistema de intercomunicação é proporcionado pela RIEDEL e inclui o TANGO e os Smartpanels da série 1200.

Nesta altura, os carros gémeos de exteriores, agora fornecidos à RTBF, constituem o que de mais avançado existe no mundo, no que respeita a tecnologia destinada a este género de aplicações. Podem ser usados autonomamente, mas também em conjunto para produções que o exijam e podem ainda ser adicionados aos recursos dos estúdios centrais. Constituem as pedras angulares de um conjunto mais alargado de recursos a implementar em futuro breve, uma vez que estão equipados com tecnologia à prova de futuro.

Veja este video com uma descrição dos novos carros. Leia aqui um artigo detalhado sobre as especificações deste fornecimento. Veja aqui panorâmicas 360º do interior dos carros.

Saiba mais sobre as soluções LAWO e RIEDEL. Saiba ainda mais, contactando-nos.