Exigir qualidade

Exigir qualidade não é um luxo. É uma necessidade para aqueles que dependem de boas condições para poderem executar o seu trabalho. Qualidade não é utopia. A qualidade já aí está e é o ponto básico de que a RIEDEL parte para que o seu trabalho possa ser bem executado. Mas a RIEDEL significa também aposta no futuro. Os sistemas de intercomunicação da RIEDEL garantem a qualidade, já e no futuro. No broadcast e no live, o padrão para aferir a qualidade da intercomunicação é RIEDEL.

De um bom sistema de intercomunicação depende, em grande parte, o sucesso de uma produção. No estúdio, num teatro ou num pavilhão a comunicação entre os membros da equipa é um elemento essencial para o seu bom funcionamento. É tempo de contemplar a possibilidade de dispor de um sistema de intercomunicação da mais alta qualidade, poderoso, flexível, fácil de operar e integrável, porque pensado para a nova realidade que é o áudio sobre tecnologia IP. Os sistemas de intercomunicação da RIEDEL oferecem soluções que respondem a todos estes requisitos.

Artist

Quando falamos de sistemas de intercomunicação fiáveis, não estamos a falar de um sistema para todas as situações. No campo profissional, existem exigências diferentes aplicáveis em situações diferentes. Desde soluções tipo partyline destinadas a ligar pequenos grupos de operacionais a soluções mais complexas baseadas em matrizes de distribuição. A RIEDEL oferece as duas soluções, o Performer, no primeiro caso e o Artist, no segundo.

Performer

Neste caso, trata-se de um sistema escalável, com um grau de flexibilidade, fiabilidade e controlo sem precedentes. Com base neste sistema de intercomunicação, implementar soluções wireless com base em rádio o a solução Bolero é tão fácil como montar uma WAN para produção remota. Uma infraestrutura baseada no modelo permite um alto grau de descentralização e uma colocação muito flexível das frames, que pode levar a uma redução significativa da cablagem e da montagem, em qualquer instalação, por mais complexa que se revele. As soluções Artist são à prova de futuro e são escaláveis de 8×8 até 1024 x 1024 ports (non-blocking), o que permite o seu crescimento, à medida do projecto ou da tecnologia empregue.

A série Performer Series constitui o primeiro sistema digital de intercomunicação partyline , com master stations de 2 e 4 canais, com speaker stations em rack-mount, wall-mount ou desktop, e avisadores luminosos e beltpack headset stations de 2 canais.

Bolero

A Western Australian Academy of Performing Arts (WAAPA) é apenas o último exemplo de opção por uma infraestrutura de intercomunicação wireless, baseada em produtos RIEDEL, para substituir uma outra fixa, totalmente obsoleta. Leia aqui os detalhes sobre esta nova solução.

Saiba tudo sobre os sistemas de intercomunicação RIEDEL e contacte-nos para saber ainda mais sobre estes e outros produtos da marca alemã.


Dar vida ao som

Uma boa parte do directo em televisão concentra-se hoje no desporto. Este facto foi, ou está a ser, até potenciado pela situação particular que estamos a viver neste momento devido à pandemia. Mesmo sem público, as provas desportivas continuam a realizar-se, dentro dos condicionalismos possíveis, e as suas transmissões são agora a única forma de as presenciar. O áudio assume aqui um papel vital e proporciona uma experiência intensa e insubstituível. A experiência da LAWO na área do broadcast desportivo vem de há décadas. As soluções da empresa alemã são a referência e continuam a ser usadas nos maiores acontecimentos desportivos do mundo.

Foi em 2004 que o router Nova73 fez a sua aparição nos Jogos Olímpicos de Atenas. Reconhecida pela sua fiabilidade, a LAWO continuou a marcar o ritmo e a aumentar a sua reputação internacional, primeiro com a mc²56 nos JO de Pequim, depois, em 2012, em Londres, com o contributo para as primeiras emissões em 22.2. Antes mesmo de começar, em 2014, a utilizar as tecnologias sobre IP no Campeonato do Mundo de Futebol do Brazil, e logo após a experiência das Taça das Confederações do ano anterior.

Por todo o mundo as mesas da série mc² estão instaladas em centenas de estúdios e carros de exteriores que, por todo o mundo, fazem a cobertura de diversos eventos desportivos. Os carros da Euromedia, da Mediapro ou a beIN Sports, para citar alguns poucos exemplos mais ligados ao desporto, estão equipadas com soluções LAWO. No Japão estas mesas foram utilizadas no Campeonato do Mundo de Rugby. A solução de mistura automática Kick 2.0 constitui a ferramenta adoptada na Bundesliga. As unidades de comentário LCU foram utilizadas no Japão (2019), nos Jogos Olímpicos (2008, 2012, 2016,) no Campeonato do Mundo e da Europa de futebol (2014, 2016, 2018,) a par de outras soluções do construtor alemão. E nos Jogos Olímpicos do Japão de 2021 a LAWO estará presente com as mc²56 e as unidades DSP A__UHD Core, os modelos A__stage, e os mosaicos gerados pelo software vm_dmv (UHD) serão utilizados em todas as provas do Estádio Olímpico. Nas cerimónias de abertura e fecho serão utilizadas mesas mc²56, equipadas com 16 a 144 vias, e as plataformas V__matrix.

Em todas estas circunstâncias, as soluções LAWO oferecem uma fiabilidade, facilidade de operação, robustez, design, grau de inovação e, muito importante, garantia de futuro, que não tem verdadeiramente rival.

Uma experiência decisiva e profundamente significativa, de que aqui apenas lhe podemos dar uma pálida ideia. Saiba mais lendo este artigo, visitando o site da LAWO ou contactando-nos para mais informações

NEOS da SPL, o melhor de dois mundos

Perfeita, em todos os aspectos, a NEOS da SPL é a mesa para ocupar o lugar central de qualquer estúdio. Se o seu objectivo é a produção de som ou música e qualidade é a sua palavra chave e o seu factor distintivo, se quer integrar, de forma exemplar analógico e digital, se quer uma mesa capaz de controlar diversos recursos do seu estúdio, só tem uma opção: a NEOS.

A nova NEOS da SPL

Quando se misturam diferentes pistas de uma sessão de gravação pretende-se combinar essas pistas num formato final, normalmente, duas pistas estéreo. Outros formatos são possíveis, como no caso dos sistemas surround, 5.1, 7.1, 11.1, DTS, Dolby Atmos ou Sony 360 Reality Audio, por exemplo, entre outros. Ou mais ainda, em casos especiais, como instalações, espectáculos de teatro ou concertos esse número pode ainda aumentar. O que, em qualquer caso está a acontecer é a combinação de um número variável de sinais de entrada (que pode chegar às muitas centenas, no caso do cinema, por exemplo) para um desses formatos de saída descritos anteriormente. O que uma mesa de mistura faz é a integração desses sinais de entrada e a sua distribuição por essas vias de saída, seja para uma sub-mistura ou para fixação num qualquer sistema de registo, seja ainda para a sua transmissão ao vivo, num espectáculo, via rádio ou televisão. O processo de integração dos sinais de entrada e distribuição pelos canais de saída é o somatório (em inglês summing)

nova Neos, muito compacta

Originalmente, na era pré-electrónica, o primeiro responsável pelo somatório dos diferentes sinais era o próprio executante, músico ou actor, ou o maestro, cuja função era a de equilibrar, ao vivo, a dinâmica dos sinais de modo a produzir uma mistura harmoniosa, para assim chegar directamente aos ouvidos do ouvinte ou espectador. Com o advento da electrónica, da captação através de vários microfones e da multiplicação de plataformas de registo e transmissão, surgiu a mesa de mistura. Esta permitiu controlar fisicamente a voltagem dos diferentes sinais que chegavam à mesa de mistura. A passagem para a era digital permitiu que a mistura passasse a ser feita sempre no domínio do digital, isto é, o que na realidade se está a fazer é somar zeros e uns. É o método mais corrente utilizado hoje. O debate entre a qualidade do som integrado (summed) analogicamente ou digitalmente é um clássico, e a opção por um ou por outro método tem os seus méritos e deméritos. O que sai de um estúdio tem de ser da melhor qualidade, é ponto assente. Mas, em última análise, cabe ao ouvido final do produtor a escolha. Comum a todos os detractores do summing digital é a sua falta de perspectiva, com os diferentes sinais como que esmagados contra uma superfície plana. O summing analógico mantém uma profundidade e uma margem de operação neste domínio, um pouco, se se quiser, como, na fotografia, o fotógrafo joga com a profundidade de campo. O exemplo, aliás, da fotografia com e sem profundidade de campo é particularmente esclarecedor.

Existem várias soluções no mercado para a mistura analógica. A AVANTOOLS propõe-lhe a NEOS da SPL.

Esta é uma mesa notável, dispondo de um conjunto assinalável de vantagens. Integra-se perfeitamente com a sua DAW, mas permite fazer o summing analógico, mantendo assim essa tal margem de manobra e assegurando a profundidade de campo que falta ao digital. Proporciona, por isso, uma qualidade de som superior não alcançável numa solução totalmente digital. A NEOS é uma mesa de 24 vias, de mistura ou integração, muito compacta, com faders estéreo e controladores de panorama. É também o primeiro produto deste tipo a utilizar a tecnologia 120V rail, o que lhe confere uma qualidade superior e características de funcionamento especiais. Fique a saber mais sobre esta tecnologia e sobre a razão das excepcionais qualidade sonoras que proporciona aqui. Esta é a tecnologia usada, por exemplo, nos notáveis pré-amplificadores modelo Crescendo e no novo Crescendo Duo, sobre os quais falámos aqui e aqui. A NEOS constitui ainda um sistema de controlo do seu estúdio, através do seu esquema integrado de I/O.

Veja este video sobre a nova NEOS.

Saiba mais sobre a NEOS e aproveite para saber mais ainda sobre a diversificada linha de produtos da SPL. Para mais esclarecimentos contactando-nos para demonstrações, para obter mais informação sobre estes produtos e condições de aquisição dos equipamento SPL.


Um salto para o futuro

Os novos interfaces áudio da linha AVN-DIO Audiophile, da SONIFEX, constituem uma solução muito elegante e compacta para ligar equipamento analógico e digital tradicional às novas redes de Dante AoIP. Se tenciona ou precisa de dar o passo para o futuro que entretanto chegou, mas não está preparado para reformar já o seu parque de equipamento tradicional, esta nova linha vai ajudá-lo.

Numa empresa, qualquer que seja a sua natureza, existe um problema recorrente, sempre que se verifica um salto tecnológico: o equipamento tradicional, que representa um investimento significativo, processado ao longo de anos, que constitui um património importante e, ainda por cima, funciona, fica obsoleto sempre que uma nova tecnologia aparece. Estes saltos significam transições para métodos de trabalho novos e tendências de funcionamento inevitáveis e exigem investimentos novos. O que fazer a todo o património adquirido? Como responder aos novos desafios, que mais tarde ou mais cedo terão de ser enfrentados?

As empresas de broadcast, televisão e rádio, dependem da tecnologia e estão sujeitas constantemente a mudanças de paradigma de funcionamento. O que fazer? Mudar e evoluir, ou manter o status quo e estagnar? Talvez haja uma terceira via,

A SONIFEX é uma empresa criada no final dos anos 60, inteiramente focada na área do broadcast , altamente prestigiada e com créditos mais que firmados. Ao longo de tantos anos de funcionamento, a SONIFEX tem sabido encontrar as soluções que acompanham as contínuas mudanças de paradigma tecnológico, numa área que exige enorme rigor e garantia de fiabilidade, mas que se tem de adaptar aos tempos e à mudança.

A linha de interfaces áudio AVN-DIO Audiophile Dante® que a SONIFEX agora propõe situa-se, justamente nesta área de preocupações. Trata-se de um conjunto de interfaces, muito compactos e elegantes, prontos a utilizar sem quaisquer operações adicionais, que permitem ligar equipamento, analógico ou digital, antigo a uma rede áudio sobre IP Dante. Uma ponte entre a tradição e o futuro, sem quaisquer dificuldades adicionais. As vantagens da linha AVN-DIO? Para além de revitalizar o seu equipamento tradicional, entrando no novo domínio do áudio sobre IP, passará a contar com a qualidade dos circuitos de conversão A/D e D/A dos interfaces da nova linha, que lhe proporcionam uma excepcional qualidade de sinal, com uma banda dinâmica situada em valores superiores a 120dB.

Uma solução simples paa cada problema concreto. Na nova linha vai encontrar conversores Dante entrada e saída analógica, Dante para e de AES3, de AES-3id BNC estéreo entrada e saída, conversão microfone para Dante, Dante para 3G/HD/SD-SDI Embedder/De-Embedder, etc.. Vai, certamente, encontrar no conjunto de soluções propostas pela SONIFEX a que melhor se adequa às suas necessidades. Vai também encontrar um conjunto de outras soluções para todos os seus problemas de produção na vasta linha de produtos que a SONIFEX desenvolve e que temos o prazer de lhe disponibilizar. Veja aqui videos sobre toda a linha AVN-DIO Audiophile Dante®.

Contacte-nos para mais informações e para testar os produtos desta nova linha.


A LAWO na Volksoper de Viena

A LAWO produz mesas de mistura que se tornaram no verdadeiro padrão pelo qual se rege a indústria. Para além da sua função central, as mesas da LAWO constituem um núcleo de controlo de todas as operações de um centro de produção áudio, qualquer que seja a sua função. Para além da sua qualidade, fiabilidade e facilidade de operação, as mesas de mistura da LAWO oferecem esta capacidade de poderem ser o ponto nevrálgico de controlo de todas as operações, incluindo a sua integração completa com o vídeo. Seja num estúdio, num teatro, numa sala de concertos ou de congressos, ao vivo, com processamento on the fly ou em registo para posterior processamento. E mais! Graças às novas facilidades, entretanto introduzidas, as mesas LAWO podem ser configuradas e operadas directamente, aproveitando capacidades do software e as suas excepcionais qualidades ergonómicas ou remotamente. Ou seja, literalmente, a quilómetros de distância. Assim se passa, por exemplo, na Volksoper de Viena.

A Volksoper de Viena

O Volksoper de Viena (Áustria) é um dos teatros mais importantes do mundo. Conhecido, sobretudo, pela oferta do que de mais sofisticado pode ser apreciado em matéria de entretenimento musical, é líder no popular género musical da opereta, e pelo seu palco correm também as maiores produções de ópera, dança e musicais da Europa. As instalações da Volksoper Viena são usadas para registar transmissões de televisão ou concertos e para a realização de todo o áudio usado nas suas suas produções. Óperas compostas entre o século XVIII e o século XXI são aí regularmente apresentadas, que juntamente com uma enorme diversidade de espectáculos de opereta (o ponto forte do Volksoper), bailado e musicais, perfaz as mais de 30 produções diferentes que habitualmente compõem o programa anual da sala. E, em cada temporada, perto de 400 000 espectadores assistem às cerca de 300 récitas anuais que passam pelo palco desta grande sala, construída em finais do século XIX e com mais de 1300 lugares.

Volksoper Viena (estúdio 1)

No único espaço multifuncional de Viena, a produção completa de ópera, opereta, musicais e bailado implica um enorme grau de exigência e necessidade de flexibilidade, sem descurar a qualidade de toda a operação. Mais de 150 cantores, 95 músicos e 100 bailarinos que compõem o quadro da Volksoper Viena, impõem exigências excepcionais na qualidade da tecnologia áudio utilizada, tanto nos espectáculos, como nos estúdios.

A resposta para tamanho desafio foi uma nova mesa modelo mc² 56 da LAWO, capaz de responder a todos os requisitos exigidos. A nova mesa de 32 vias, tem 98 canais de DSP e uma matriz de routing de 8192 x 8192 pontos. Configurada para SMPTE 2110, AES67/Ravenna e Dante, está optimizada para produção vídeo com base IP. Entre tantas outras características, a nova mesa dispõe ainda da tecnologia LiveView que permite gerar visualizações dos streams de video em cada um dos monitores das vias da mesa.

Apanhada pela crise pandémica, a instalação da nova mc² 56 foi conduzida e concluída com sucesso, à distância, a partir do quartel-general da LAWO. A prática, ditada pelas circunstâncias, virou rotina e qualquer alteração é feita agora remotamente, sem problemas. Devido à pandemia, a programação do Volksoper Viena também sofreu alterações, mas não parou. E a nova temporada irá iniciar-se em Setembro, como programado, com a opereta de Johann Strauss “Die Fledermaus”, a que se seguirá o conhecido “Kiss Me, Kate” de Cole Porter e logo depois “Sweet Charity,” a adaptação do filme de Frederico Fellini “Le Notti di Cabiria.” Em todas estas produções o controlo de todas as operações áudio e a comunicação entre equipamentos de todas as salas e palcos estará assegurada pela mc² 56.

Saiba mais sobre esta operação de instalação da mc² 56 e fique a conhecer melhor todas as suas características aqui. Mesas LAWO foram utilizadas na recente transmissão do concerto comemorativo do feriado de 14 Julho em França, com transmissão para 10 milhões de espectadores. Veja tudo aqui.

Se quiser ficar a saber mais sobre a LAWO e os seus equipamentos, saber da experiência de outros utilizadores portugueses ou como a LAWO poderá ser a solução para as suas necessidades de produção áudio, contacte-nos.


A RIEDEL corre o mundo

RIEDEL, criadora de soluções de intercomunicação, processamento e transporte de sinal via IP para o broadcastlive e institucional, continua a ser a escolha preferencial dos profissionais de todo o mundo. Sempre que a exigência é de total fiabilidade, máxima facilidade de operação e olhos no futuro, são as soluções RIEDEL, baseadas na tecnologia desenvolvida pelo fabricante alemão, que se revelam as únicas apropriadas. É o caso especial da tecnologia de distribuição AV MediorNet. Um grande teatro no Japão, o Teatro Nacional Bunraku, e uma das empresas líder mundial de outside broadcast, a inglesa CTV, com uma carteira de clientes literalmente espalhada por todo o mundo, contam-se entre os utilizadores mais recentes desta tecnologia. Venha conhecer melhor os novos exemplos de aplicação da tecnologia MediorNet, o que ela proporciona especificamente, em cada caso, a cada um deles e as razões que os levaram a adoptá-la.

Gateways RIEDEL

A tecnologia MediorNet é, sem qualquer dúvida, um dos pontos fortes da RIEDEL. Com a sua introdução há mais de uma década, esta tecnologia abriu a porta à possibilidade de criação de uma infraestrutura de distribuição de vídeo, ao combinar transporte de sinal, routing, processamento e conversão numa única rede redundante, a funcionar em tempo real. Desde há dez anos, esta tecnologia tornou-se a que proporciona a infraestrutura mais versátil e fiável do mercado, centrada na criação de redes AV. Até à data, a tecnologia MediorNet continua a ser a única a oferecer todas as vantagens do conceito de hardware distribuído, baseado e controlado por software. Os clientes confirma-no. Recentemente a sua lista aumentou com dois casos particularmente significativos e paradigmáticos do potencial que a tecnologia encerra.

O Teatro Nacional Bunraku (NBT) de Osaka, Japão, é um dos seis teatros nacionais do Japão. É o principal local onde o género Bunraku — uma arte tradicional de teatro de marionetas, declarada Património Imaterial da Humanidade — pode ser apreciada, a par de outros géneros como o Kabuki ou o Buyō. O complexo onde se realizam estes espectáculos é constituído por dois auditórios, um instituo de formação e os arquivos.

Teatro Nacional Bunraku (Japão)

Toda a complexa operação de televisão digital funciona na instituição. Um recente upgrade visou dotar o NBP de sistema capaz de fazer a distribuição do sinal vídeo e áudio da instituição e a escolha recaiu na proposta da RIEDEL. Uma rede de distribuição MediorNet MicroN de alta densidade de distribuição de sinal e 15 SmartPanel interfaces foram assim adquiridos, o que permite a ligação dos sinais áudio e vídeo de oito câmaras aos vários monitores da sala de controlo, ao átrio de entrada e aos dois palcos. Os SmartPanels foram configurados com a aplicação MediorNet Control, o que permite à equipa técnica e de palco a mudança das fontes de sinal de cada monitor vídeo praticamente sem latência, o que constituía um dos requisitos fundamentais exigidos. O sistema agora instalado demonstra bem o poder, flexibilidade e fiabilidade da tecnologia MediorNet, quando se trata de transporte de sinal em tempo real. Mais sobre esta solução aqui.

Por sua vez, a CTV é uma empresa fundada em 1983, especializada em outside production. Conta com uma enorme frota de carros de exteriores, presente em todo o mundo e com uma carteira de clientes de enorme peso. Os números do seu desempenho espelham a vastidão da sua operação: a frota produz o equivalente a mais de 1000 dias de gravação e mais de 2600 horas de transmissão ao vivo, anuais, e uma média de seis horas diárias de transmissão de televisão.

Interior de um dos carros da CTV

A CTV acaba agora de adquirir um sistema baseado nos gateways MediorNet MuoN e FusioN gateways da Riedel, para maximizar o seu fluxo de trabalho ao vivo. A solução permite optimizar a velocidade e flexibilidade da conversão de sinal durante a produção. A solução de base SFP dos gateways IP MediorNet MuoN proporciona, nomeadamente, vários interfaces práticos para converter sinal SDI em IP. A solução MediorNet FusioN utilizada agora pela CTV Outside Broadcasts constitui um gateway versátil e autónomo, concebido para aplicações de controlo remoto. Mais sobre esta solução aqui.

Saiba mais sobre a tecnologia MediorNet aqui. Veja tudo sobre estes e outros produtos da RIEDEL aqui. Se a sua actividade s situa na área do broadcast, live, televisão ou rádio, se tem a responsabilidade de um teatro, centro de congressos, estádio ou qualquer outro tipo de operação em que a transmissão de sinal, áudio, vídeo ou dados e a intercomunicação sejam elementos dos quais depende diariamente, venha falar connosco para saber quais as soluções RIEDEL mais adequadas às suas necessidades.


O novo HDR-80 da Datavideo

Um gravador de video concebido para trabalho multicâmara? ProRes e 4K? E com áudio, ecrã táctil e ferramentas de edição incorporadas? Sim, isso e muito mais. O novo HDR-80 é uma nova unidade de gravação de video profissional, muito compacta, que promete revolucionar os seus fluxos de trabalho e tornar a produção vídeo mais fácil do que nunca, garantindo a qualidade máxima do seu trabalho. A DATAVIDEO parece ter tocado aqui, mais uma vez, num ponto sensível: como aceder a ferramentas de produção de vídeo profissional, sem delapidar os seus recursos financeiros.

O novo HDR-80

O novo HDR-80 é uma nova proposta da DATAVIDEO que vem revolucionar o mundo da produção video profissional. Capaz de gravar 4 sinais de video separadamente, com um único sinal de sincronismo, o HDR-80 é, não só, um gravador ISO, mas pode ser usado também como um switcher HD de 4 canais, but it can also be used as a four-channel HD video switcher.

2 discos 2.5″ SSD

Equipado com 2 discos 2.5″ SSD, o HDR-80 é um gravador 4K ProRes Dual Disk Recorder capaz de aceitar até 4 câmaras HD, para gravação vídeo ao vivo. Os quatro sinais podem ser vistos no ecrã táctil incluído e lançados para live streaming directo. O áudio pode ser injectado no vídeo, através das suas entradas digitais e analógicas balanceadas, o que faz do HDR-80 a ferramenta perfeita para transmissão ou streaming.

Painel traseiro do HDR-80

O HDR-80 suporta um conjunto alargado de entradas e saídas, designadamente, uma entrada 4K HDMI, uma entrada 12G SDI e 3 entradas 3G-SDI, para além de saídas de vídeo com áudio injectado. Este arranjo é muito flexível e cobre todas as necessidades de produção, com ou sem recurso a equipamento adicional.

A DATAVIDEO permite-nos aceder a ferramentas de produção vídeo muito inovadoras, cujo uso obedece à lei dos 3 Fs: flexibilidade, fiabilidade e facilidade. Ao mesmo tempo que garante a pureza e a qualidade dos seus produtos e a obediência aos mais altos padrões de exigência do trabalho com eles executado.

Uma ferramenta como o HDR-80 abre horizontes muito amplos de produção vídeo a nível profissional, oferecendo uma flexibilidade e facilidade de operação que o tornam a escolha natural para o broadcast em geral, incluindo estações de rádio, e também para eventos religiosos, desportivos, musicais ou em qualquer outra situação, com exigências profissionais e de máxima qualidade de sinal e com utilização de várias câmaras simultaneamente.

O novo HDR-80 vai estar disponível muito em breve. Saiba tudo sobre as características do novo produto e veja este video com uma súmula delas. Consulte-nos para saber mais ainda, para saber da disponibilidade do produto e o seu preço.


Tudo se resolve…

Costuma-se dizer assim, que tudo se resolve. Com uma única excepção, diz-se também. Mas há problemas mais simples que outros. Problemas que se revelam, por vezes, bastante complicados de resolver. Repare nos formatos utilizados em áudio profissional profissional, por exemplo. É um universo onde se falam mais línguas do que na lendária Torre de Babel. Por vezes a comunicação entre diferentes equipamentos e formatos parece um problema inultrapassável. Mas a Appsys ProAudio trouxe a solução. Se precisa de converter qualquer formato de áudio digital em qualquer outro, o Multiverter é a sua solução, sólida, fiável, flexível.

MVR-64 multiverter

A Appsys ProAudio é uma empresa que alia a precisão suíça à solidez da manufactura alemã. Surgida em 2007, com sede em Zurique, dedica-se ao desenvolvimento e produção de equipamento áudio profissional. Mas . A BBC, a Apple ou a Dolby, por exemplo, contam-se entre os seus clientes que optaram pela solidez e fiabilidade dos seus produtos.

Em grande destaque na linha de produtos da Appsys ProAudio está o Multiverter. Trata-se de um conversor universal, disponível numa unidade compacta de 1U. O que esta unidade lhe oferece é conversão de todos os formatos áudio digital, actualmente usados profissionalmente, em qualquer outro:

  • ADAT (8x), SPDIF/AES3 óptico
  • MADI óptico
  • MADI coaxial
  • MADI-TP (até duas ligações simultâneas)
  • AES50 (até duas ligações simultâneas)
  • Dante / AES67
  • mais formatos disponíveis através de breakout boxes 

As características principais do Multiverter são:

  • 64×64 canais em cada interface, com a possibilidade de fazer o routing/splitting entre interfaces
  • Amplificador para auscultadores integratedo
  • Conversão da taxa de amostragem assícrona
  • Controlável remotamente via web, telnet ou USB. 
  • Expansão contínua através de break-out boxes

O que o Multiverter lhe oferece é tão somente a possibilidade de ligar o seu equipamento a qualquer fonte de sinal. tornar o seu carro de produção ou de exteriores compatível com qualquer equipamento, usar a sua ligação ethernet como um interface 64×64 para gravação via Dante, conversão da taxa de amostragem entre quaisquer interfaces, latência baixa usando a sua rede ethernet normal. utilização actualizada do seu equipamento mais antigo. De forma fiável numa unidade muito compacta e de simples operação.

Poder e flexibilidade, eis o que o Multiverter lhe oferece. Um equipamento indispensável em qualquer estúdio de áudio, vídeo ou rádio profissional.

Saiba mais sobre o Multiverter e sobre esta nova representada da Avantools aqui. Para saber mais ainda, consulte-nos.


Datavideo, em qualquer altura.

As soluções da DATAVIDEO são tecnicamente únicas, constituem um investimento seguro e evidenciam uma relação qualidade/custo sem paralelo. Em qualquer altura, a opção DATAVIDEO apresentar-se-ia, pelas suas características, como a ideal para produção de video no século XXI. Neste particular momento, em que a maior parte da comunicação no mundo se faz via video, por razões de conjuntura que todos conhecemos, a DATAVIDEO tornou-se uma marca vital. Veja como, com um estúdio de inteiro de produção tv, que cabe numa mala, vai a qualquer lugar captar a sua informação, prepara-a e pode fazê-la chegar, de imediato, onde lhe interessa.

SCS-500

A DATAVIDEO ganhou um justo prestígio mundialmente por proporcionar soluções de produção de video profissionais, de grande qualidade, facilidade de operação e preços sem paralelo. Todo o equipamento necessário à produção profissional, outrora apenas acessível aos grandes broadcasters ou estúdios de topo, passaram a estar disponíveis a quem quer que deles necessite.

SE-500HD

A DATAVIDEO fabrica todo o equipamento necessário para uma produção de video de grande exigência, com um oferta muito diversificada de equipamentos que cobrem todas as necessidades. É a resposta natural para uma variedade muito ampla de situações para as quais se exige qualidade, robustez e flexibilidade, mas, ao mesmo tempo, apertado controlo de custos. Estes equipamentos estão disponíveis em unidades separadas, que vão sendo montadas à medida das necessidades, juntando os modelos mais adequados. Mas a DATAVIDEO tem-se igualmente distinguido pela criação de soluções chave na mão, adequadas à função e pré-montadas para maior conveniência dos seus utilizadores.

HDR-1

É o caso do modelo SCS-500, pequeno conjunto de produção, concebido para conferências, assembleias, concertos, eventos desportivos e outras situações similares. Este modelo gira em torno do switcher SE-500HD – 4 entradas e inclui ainda 2 câmaras BC-80 – HD Block, o HDR-1 – 1080p USB Recorder, os monitores TLM-102 – Dual 10″ LCD, 2 Tripés STA-100 , 2 cabos CB-60 HDMI de 30m e duas malas de transporte HC-300 e HC-800. Capte áudio e video, faça a montagem, codifique e faça o streaming para as suas plataformas escolhidas. Poderá trabalhar em directo ou em diferido. Tudo a partir do seu SCS-500! Desmonte o equipamento, coloque-o nas respectivas malas de transporte e dirija-se para o seu novo trabalho. Nada mais simples, nada mais fácil de operar e transportar. Nenhuma outra solução se aproxima sequer do poder e qualidade do SCS-500.

BC-80

Com a DATAVIDEO e, em particular, com o SCS-500, está a fazer um investimento de futuro, que lhe garante a satisfação das suas necessidades de produção vídeo internamente. Com toda a simplicidade e com a garantia de chegar com o seu trabalho, sem intermediários, onde lhe interessa.

Veja aqui mais informação sobre as características do SCSS-500. Fique a saber mais sobre as propostas da DATAVIDEO e fale connosco para saber mais ainda sobre o SCS-500 e outras ofertas da marca.


Broadcast em tempo de pandemia (2)

Cada crise é uma oportunidade, dizem. Esta crise parece querer continuar a lançar-nos desafios. Mas há, contudo, alguns que podem ser facilmente vencidos. Se falássemos em tele-trabalho, por exemplo, a alguém da área do broadcast há uns anos, éramos certamente objecto de chacota. A verdade é que a pandemia veio obrigar esta área a repensar alguns dos paradigmas em que estava fechada. Algumas das novas práticas que, pela pressão dos acontecimentos, daí resultaram, preconizam uma verdadeira revolução no sector e merecem agora ser encaradas a uma nova luz. E há novas ferramentas que sustentam esta revolução. Bem-vindo à nova tecnologia com base IP! É possível instituir novas práticas, manter os mais altos padrões de qualidade, e acelerar a migração para uma tecnologia que veio para ficar. As soluções da LAWO mostram-se à altura do desafio e estão aí o ajudar.

LAWO Mix Kitchen

Fazer rádio e televisão profissional em tele-trabalho? Parecia impossível. A urgência da situação veio demonstrar o contrário. Nem sempre as soluções encontradas são as mais fiáveis. Mas estas existem.

Com o distanciamento e muitas outras restrições impostas à maioria das actividades, a economia está a ressentir-se de uma forma que terá apanhado muitas empresas impreparadas. A busca de soluções para colmatar limitações impostas pela pandemia prossegue. Há sectores da economia onde essas soluções são mais fáceis de encontrar e implementar do que outras. O tele-trabalho é, sem dúvida, uma prática que pegou. Na área do broadcast, poderia parecer difícil pô-la em prática. Mas será?

O que temos vindo a assistir é à criação de soluções expeditas, baseadas em meios pré-existentes, muitas vezes improvisados. Estas soluções de recurso deixam frequentemente a desejar e comprometem padrões de qualidade há muito instituídos. Já aqui nestas páginas abordámos os novos desafios que a crise pandémica colocou aos operadores e as respostas possíveis que existem. A migração para uma infraestrutura tecnológica com base IP é um passo inevitável para todos os operadores nesta área. Os que o deram estão agora mais equipados para dar resposta aos novos desafios. Os que o não deram vão ter de considerar essa hipótese seriamente.

A LAWO encontra-se na vanguarda das soluções ao serviço dos novos tempos que se avizinham. A pioneira marca alemã, criadora de tecnologia com base IP para a indústria do broadcast, acaba de anunciar que as suas mesas de produção da série mc², bem como as suas soluções sem superfícies de controlo, incluindo o mc² Micro Core, podem agora ser controladas de qualquer ponto no mundo, desde que esteja garantida uma ligação à internet, até mesmo a partir de um smartphone ou de um hotspot pessoal 4G. Que a exiguidade e singeleza dos meios não induza em engano: um operador pode mesmo controlar uma régie inteira ou partilhar essa operação com um operador local, a partir de casa, sem qualquer compromisso na operação e, muito menos, comprometendo a qualidade do sinal. A solução chama-se MIX KITCHEN.

Trata-se de uma solução de longo prazo, destinada a qualquer cenário em que o acesso físico a um qualquer centro de broadcast, seja de televisão ou rádio, esteja comprometido por um qualquer incidente, ou, como no caso presente, restrições que implicam, por exemplo, redução forçada de turnos. A solução baseia-se num simples sistema de controlo remoto do tipo Mackie® HUI-compatível. As possibilidades são infinitas, a qualidade sem compromisso. Veja aqui como funciona, na prática, a MIX KITCHEN.

Saiba mais sobre esta e outras soluções LAWO. Leia mais e aqui também, sobre a MIX KITCHEN. E contacte-nos para saber mais ainda.