Abbey Road na vanguarda

Quando falamos de música, o nome Abbey Road assalta imediatamente o nosso imaginário. Trata-se, sem dúvida, de um dos mitos modernos mais poderosos. É o nome de um estúdio por onde passaram as figuras mais marcantes da revolução musical iniciada nas Ilhas Britânicas nos anos 60 e continuada por aí adiante. Uma das marcas do estúdio, escolhido também talvez por esse motivo por tantas estrelas, é o seu recurso sistemático a tecnologias de vanguarda. Uma destas tecnologias a que o estúdio recorreu foi criada pela CEDAR AUDIO, antes mesmo de esta se ter transformado na empresa que hoje é. Esta tecnologia equipa o Abbey Road desde 1988, quando ainda não passava de um protótipo. Hoje o estúdio mítico usa a última versão do sistema Cambridge.

A associação do Abbey Road com a CEDAR remonta a 1988, antes mesmo da CEDAR AUDIO ter sido formalmente estabelecida. Um protótipo de pesquisa dos primeiros algoritmos, ainda não em tempo real, foi fornecido aos estúdios pela Universidade de Cambridge para testes em utilização real, e, na altura, a EMI até lançou uma série de CDs usando esse tipo de tecnologia. Este protótipo foi depois substituído por um CEDAR Production System em 1991, antes de ser actualizado para o CEDAR for Windows em 1997 e depois para CEDAR Cambridge após o seu lançamento em 2003. Hoje, o Abbey Road usa o mais recente sistema CEDAR Cambridge v13, com excelentes resultados.

Originalmente um projecto de investigação da Universidade de Cambridge, este sistema foi concebido para ser usado na remoção de cliques e outros ruídos em discos de vinil ou goma-laca e não trabalhava em tempo real. Hoje, com a v13 basta executar uma transferência directa dos ficheiros e, com apenas cerca de 1/16 de segundo de atraso, remove cliques, estalos de vinil e qualquer outro ruído subjacente, sem causar qualquer alteração no original.

Usado para correcções na fala, na análise forense de áudio e segurança, passando pelo exigente restauro e correcção de grandes volumes de dados de áudio para bibliotecas e arquivos, até ao simples controlo de ruído e ao notavelmente rápido processamento de áudio para broadcast, ou, finalmente, na masterização, o CEDAR Cambridge é um super processador de 64 bits de alto desempenho, uma plataforma de processamento de alta resolução, que oferece uma ampla gama de ferramentas para todas as operações de correcção ou recuperação de dados de áudio.

Completamente modular, totalmente automatizado, o CEDAR Cambridge pode processar até 100 vezes mais rápido do que em tempo real (ou mais, dependendo do hardware), pode suportar vários utilizadores e pode processar enormes volumes de dados de forma rápida e eficiente. O sistema também se integra com os sistemas MAM e pode gerar relatórios para cada faixa processada, para que o áudio e seus metadados associados possam ser adicionados de forma eficiente aos bancos de dados dos utilizadores. O CEDAR Cambridge é o sistema escolhido por muitos arquivos e bibliotecas nacionais de som, bem como estúdios de pós-produção, estúdios de masterização de registos áudio e broadcasters.

O CEDAR Cambridge é um sistema de topo, mas trata-se apenas de uma das muitas ferramentas da ampla gama desenvolvida pelo fabricante britânico para o processamento e correcção de sinal áudio.

Se pretender saber mais sobre o CEDAR Cambridge da CEDAR AUDIO veja aqui. Para mais informações sobre a história da utilização deste sistema no Abbey Road, leia aqui. Veja aqui toda a linha de ferramentas de processamento e correcção de sinal da CEDAR AUDIO. Consulte-nos para mais informações.


O pequeno milagre

O DNS 4 é o recentíssimo modelo lançado pela CEDAR AUDIO, o mais potente e mais avançado da série que utiliza a tecnologia DNS (Dynamic Noise Supression). Quem experimentou os modelos anteriores desta série da CEDAR AUDIO, sabe por que razão podemos arriscar a palavra milagre. Os resultados da aplicação desta tecnologia parecem, de facto, um milagre. Mas não, a prestação dos diferentes modelos da série DNS não tem nada de místico. É o resultado da aplicação de uma tecnologia avançada, desenvolvida e aplicada pela CEDAR AUDIO, empresa líder em restauro de áudio, supressão de ruído e correcção da inteligibilidade de fala, uma referência absoluta da indústria. O DNS 4 segue uma tradição que vem de longe e junta-lhe pormenores que o vão deixar supreendido.

Já por diversas vezes falámos, aqui no Feedforward, dos anteriores modelos da série DNS: o portátil DNS 2 de dois canais e o 8D, um modelo em rack de oito canais. O DNS 4, é o modelo mais recente e avançado desta série. Portátil, com uma entrada de alimentação Hirose HR-10 e mini-XLRs que permitem muitas ligações, o novo DNS 4 ocupa pouco mais espaço do que o DNS 2, uma referência neste tipo de equipamento, mas dobra o número de canais disponíveis.

Uma das caractaerísticas que mais sobressai nesta série é a sua incrivel rapidez de processamento e a quase inacreditável simplicidade de operação. O algoritmo DNS requer apenas activar a função learn, que permite identificar e adaptar o algoritmo ao ruído de fundo e, em seguida, ajustar a quantidade necessária de atenuação desse ruído. Apesar desta simplicidade, os resultados alcançáveis roçam o notável. Além disso, apesar de ser tão compacto que pode ser colocado num bolso ou numa mochila de equipamento, o DNS 4 oferece entradas de microfone e linha analógicas, de nível de ruído ultra baixo (este último com alimentação phantom opcional de 48V), entradas digitais AES3/AES11 e entradas analógicas e saídas digitais. E, para aumentar ainda mais a sua flexibilidade, funciona com 12V, o que permite usá-lo in situ tão facilmente quanto num plateau de cinema ou num estúdio de música.

Mantendo a latência quase zero de seus antecessores, o DNS 4 é adequado para uso em todas as situações: gravação ao ar livre ou em qualquer espaço confinado, transmissão ao vivo e som live, em locais como teatros, salas de concerto, auditórios de conferências, locais de culto e, naturalmente, em estúdio.

O DNS 4 não é substituto para qualquer outro produto CEDAR AUDIO existente. Foi projectado para complementar o DNS 2 e o DNS 8D, oferecendo uma nova opção para utilizadores que precisam de mais de dois canais de DNS, tudo numa unidade muito compacta e portátil, em alternativa a uma unidade de montagem em rack.

A tecnologia DNS da CEDAR AUDIO é usada em produções e transmissões da mais alta qualidade, para eliminar ruído de tráfego, ar condicionado e outros ruídos mecânicos em geral, vento, chuva e quaisquer outros tipos de ruído de fundo. Isso ajuda a compensar condições acústicas desfavoráveis, má colocação dos microfones e permite até suprimir a reverberação em excesso.

A tecnologia DNS é usada para limpar o som na produção e pós-produção de filmes e vídeo, suprimir ruído ambiente em transmissões ao vivo, actualizar bibliotecas de som e melhorar a inteligibilidade da fala. É o que, legitimamente, se pode chamar um padrão da indústria, que ganhou vários importantes prémios, incluindo um Emmy, um Oscar, um IABM e dois Cinema Audio Society.

O DNS 4 é um milagre. Necessário, de facto, ouvi-lo para crer.

Veja mais sobre o novo DNS 4 aqui. Conheça as características do novo DNS 4 aqui e, se ainda não os conhece, aproveite para descobrir outros produtos da CEDAR AUDIO aqui. Se quiser ficar a conhecer ainda melhor todos estes produtos ou caso os queira experimentar e ouvir o milagre, contacte-nos.


Cedar Audio lança SE2

A Cedar Audio anuncia um o SE2, um upgrade para o seu afamado SE1.

O modelo SE2 da Cedar Audio acaba de ser anunciado pela empresa.

O SE2, Speech Enhancer 2 é uma unidade na linha do DNS2 (Dialog Noise Supression), este destinado ao campo da produção áudio, aquele destinado à área do chamado áudio forense e às forças de segurança.

Saiba mais sobre o SE1 e novo upgrade SE2 e consulte-nos para mai informações ou uma demonstração.