Sapporo Television Broadcasting opta por RIEDEL

A linha Micronet da RIEDEL constitui, sem dúvida, uma poderosa solução para todo o tipo de necessidades e desafios que o broadcaster moderno enfrenta. Dir-se-ia até que constitui a solução, dado o conceito único e inovador que subjaz esta tipo de equipamento concebido pela marca alemã. Mas a linha Micronet é muito mais do que isso. Ela conta com o rigor, a inovação, a fiabilidade, a qualidade, a robustez e o pensamento no utilizador que são o apanágio de toda a linha da RIEDEL. Aquilo que faz desta marca a referência inquestionável no domínio do broadcast. Em reconhecimento destes predicados, uma solução Micronet acaba de ser a escolha de mais um poderoso broadcaster, neste caso, a Sapporo Television Broadcasting.

Com a introdução do MediorNet há mais de uma década, a RIEDEL tornou-se a primeira marca a abordar o problema da distribuição de infraestruturas de vídeo, combinando transporte de sinal, roteamento, processamento e conversão, numa rede redundante em tempo real. Desde então, o MediorNet cresceu e tornou-se o elemento central das redes AV, o mais versátil e fiável do mercado. Até hoje, o MediorNet a ser o único sistema que garante todas as vantagens oferecidas pelo chamado hardware distribuído assente em software.

A estrutura modular, à prova de futuro, como é frequentemente apontado, do MediorNet e o conceito inovador do controlo de hardware por apps, permitem que se adapte facilmente às mudanças no mercado. À medida que os padrões e expectativas da indústria evoluem, o MediorNet evolui com eles. A resposta da RIEDEL aos desafios decorrentes da evolução em direcção à tecnologia IP foi uma gama de soluções inovadoras baseadas em SFP para complementar os interfaces de sinal inteligente MicroN, MicroN UHD e Compact da MediorNet e o switch central MetroN. Os módulos de processamento e hubs de processamento MuoN, FusioN e VirtU completam o portfólio de vídeo da RIEDEL com soluções IP completas. Todos esses dispositivos versáteis podem servir uma ampla gama de funções e aplicações diferentes, mas distinguem-se por duas qualidades principais que têm estado na base da filosofia da marca alemã para infraestruturas de mídia por anos: são distribuídos e controlados por software.

Uma perfeita ilustração do poder das soluções referidas é o recente caso da Sapporo Television Broadcasting (STV), cuja história poderá ficar a conhecer aqui. O poderoso broadcaster japonês acaba de instalar 17 dispositivos de rede de distribuição de mídia MicroN, para além de dois roteadores de núcleo MetroN, como parte de uma rede de mídia em tempo real MediorNet distribuída. A rede estende-se por duas salas de controleo, controlo central de emissão, edição de notícias e demais áreas da emissora. Com esta implantação, a STV tornou-se o primeiro cliente da RIEDEL no Japão a usar o dispositivo de rede de distribuição de mídia MicroN como um roteador de vídeo central.

As razões para a escolha da STV, para além de manter os custos operacionais e de manutenção baixos e reduzir significativamente os requisitos de cablagem, assentam no facto de o sistema MediorNet oferecer funções de processamento, opções de entrada/saída MADI e redundância que contribuem para a flexibilidade e fiabilidade geral do sistema. A STV usa a infraestrutura da RIEDEL para agregar recursos de vídeo de dentro e fora da estação de transmissão e torná-los imediatamente disponíveis para vários departamentos conforme necessário. A emissora também implantou o sistema de intercomunicação sem fio Bolero da RIEDEL para comunicações flexíveis em toda a estação.

À medida que broadcasters como a STV decidem pela mudança em direção ao IP, a linha MediorNet permite a adopção de uma abordagem progressiva, partindo da sua base SDI e implementando a tecnologia de base IP quando entendem ser a hora certa.

Para mais informações sobre o projecto RIEDEL/STV veja aqui. Saiba mais sobre a linha MedioNet aqui. Para conhecer melhor ainda a RIEDEL e as soluções que mais se adaptam às suas necessidades, contacte-nos.


Campanha upgrades AVID

A AVID anunciou que até 31 de Dezembro estarão disponíveis os Upgrades/Reinstatements para quem tenha Plano Expirado.

Esta oportunidade permite o upgrade e actualização da Licença Perpétua desde o Protools 11, 12, 20xx, e renova o Plano de Actualizações por mais um ano, com acesso às versões em vigor dos respectivos softwares.
Para quem tivesse uma Licença Perpétua com plano caducado, a solução proposta pela AVID entre 2019 e hoje era apenas substituir os planos das Licenças Perpétuas por Subscrições ou manter os planos activos. Agora, a AVID volta a disponibilizar os Reinstatements até ao final do mês.

Planos abrangidos:

  • Pro Tools 1-Year Upgrade with Software Updates + Support Plan  –  
  • Pro Tools | Ultimate 1-Year  Upgrade with Software Updates + Support Plan  
  • Sibelius | Ultimate  1-Year Upgrade with Software Updates + Support Plan 
  • Sibelius 1-Year Upgrade with Software Updates + Support Plan  

Apresse-se, portanto e contacte-nos.  


Phonitor 2: indispensável no estúdio moderno

O Phonitor 2 é a mais recente proposta da SPL, um moderno amplificador de auscultadores, concebido para engenheiros de som e de masterização que usam este método de trabalho. Os altifalantes também podem ser ligados ao Phonitor 2, o que o transforma num controlador de monitorização de estúdio completo. O Phonitor 2 constitui a mais recente incursão da SPL neste domínio, depois do êxito dos modelos Phonitor One e Phonitor One d. O Phonitor 2 é mais um produto da inovadora marca alemã, uma ferramenta única, recheada de características avançadas, imprescindível no estúdio moderno.

O Phonitor 2 é a nova proposta da SPL, na linha dos outros modelos da série (o Phonitor One e o Phonitor One d,) de que já aqui lhe demos conta anteriormente.

A alma, a inovação, a verdadeira revolução introduzida na série Phonitor, reside no Phonitor Matrix, um sistema graças ao qual é possível monitorizar o som por meio por meio de auscultadores, da mesma forma que que é feita por meio de altifalantes. Para conseguir isso, o efeito superestéreo é corrigido, o que faz com que a colocação de vozes e instrumentos na imagem estéreo pareça ser mais amplamente distribuída e efeitos como reverberação e delays sejam potenciados. O funcionamento está esquematizado na ilustração seguinte.

O Phonitor 2 aceita 2 entradas XLR e 1 RCA, possui controlo solo L/R, inversão de fase para L e R, saída comutável para auscultadores ou altifalantes, mute e controlo da função Phonitor Matrix, com crossfeed, ângulo do altifalante e nível geral (este pode ser desligado). A saída para os altifalantes activos é feita por via simétrica, via XLR. Podem ser ligadas duas fontes estéreo balanceadas e uma não balanceada ao Phonitor 2. Se um leitor de CD ou outro equipamento HiFi estiver ligado às entradas RCA, o nível deste pode ser aumentado de -10 dBV para 0 dBu usando um DIP switch, na parte inferior da unidade. Desta forma, o nível das fontes é comparável.

O Phonitor 2 possui vuímetros mecânicos. que podem ser calibrados através do controlo VU Cal. Pela sua própria natureza, a audição pode ser direcionada mais para a esquerda ou mais para a direita. Isso é particularmente evidente com a utilização de auscultadores. Por isso, o Phonitor 2 possui um controlo de lateralidade de alta resolução. Com ele, o centro pode ser ajustado com grande rigor.

Tecnologia 120V, também no novo Phonitor 2

Fique a saber ainda que o novo Phonitor 2 usa a tecnologia 120V, um exclusivo da SPL, presente noutros equipamentos da marca, cujas características poderá ficar a conhecer melhor aqui.

Apresentamos-lhe um breve sumário das características do novo Phonitor 2. Para saber mais consulte esta página ou venha falar connosco para ficar a conhecer ainda melhor este revolucionário modelo ou para uma demonstração. Veja aqui também os outros produtos da SPL ao seu dispor.


A casa dos sonhos

A Ópera de São Francisco (SFO) foi reconhecida como uma das companhias de ópera líderes do mundo, desde a sua fundação em 1923. A SFO continua a ser uma instituição artística essencial por via da sua programação e inovações introduzidas. Destaque para o uso de meios digitais, programas de enorme qualidade no campo da formação artística e para a política de encomendas para expansão do repertório operático. A histórica War Memorial Opera House , o símbolo, por assim dizer, da SFO, inaugurada em 1932, acaba de concluir uma actualização técnica para uma infraestrutura completa de áudio sobre IP. Fê-lo com duas mesas de produção LAWO da série mc² e equipamento relacionado, unificando os sistemas de produção de áudio do teatro e concluindo assim um projeto com raízes que remontam há quase 7 anos.

A prestigiadíssimo San Francisco Opera é uma instituição chave no panorama artístico do Estados Unidos. Conhecida por cativar o público de São Francisco desde 1923, tornou-se um símbolo da grande ópera, conhecida também por encomendar várias estreias mundiais, treinar alguns dos maiores jovens artistas da ópera e ser uma das companhias de ópera líderes do mundo.

A LAWO não é propriamente novidade para esta SFO, que adquiriu a sua primeira mesa da marca alemã, uma mc²56 MKII, em 2015, para uso na pós-produção. Foi um bom campo de testes, já que a equipa técnica da SFO olhava para o futuro, planeando já a substituição de uma mesa anterior, sem rede, que usavam na altura.
Ter uma componente tão importante do equipamento fora de serviço não era aceitável. Os requisitos básicos para as novas mesas eram simples. Primeiro, as mesas precisavam de ser equipadas capaz de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz e, segundo, precisavam de possuir a qualidade e as características técnicas que a ópera e a música sinfónica exigem.
Tendo adquirido a mc²56 MKII, com o modelo Nova73 Compact em 2015, para o seu serviço de pós-produção, permitiu uma grande familiaridade com a marca LAWO. Na verdade, a escolha feita em 2015 deveu-se, justamente, ao facto de aceitar o protocolo RAVENNA de raiz. A SFO usava Merging Pyramix para captura multipista e mistura de pós-produção desde 2007, e interfaces Horus e Hapi AD/DA para todos os microfones remotos desde 2012. Integrar aquele primeiro mc²56 MKII na sua infraestrutura permitiu muito criar um sistema de conectividade mais simples. A transição decorreu sem qualquer problema.

Com a presente actualização a SFO procurou atingir dois objectivos. O principal era reunir as instalações de áudio ao vivo, de transmissão e de pós-produção da San Francisco Opera numa infraestrutura de 96 kHz. O sistema inclui uma mesa de produção de áudio mc²56 MKIII com um núcleo A_UHD redundante para a cabine de som no 5º andar, nos bastidores. Junto com caixas de palco A__stage64 e A__madi6, um processador de vídeo Lawo V__pro8 e um Power Core RP com controle remoto VisTool RP, para ensaio e microfones gerais. Ao nível da orquestra, uma mesa de produção de áudio mc²36 MKII fornece som FOH. O backbone do sistema é gerido por dois switches Arista 7020.
Um segundo objetivo, era o de integrar a mesa FOH com a mesa de som principal, uma vez que as duas novas mesas compartilham agora todas as fontes. As saídas alimentam dois DirectOut Prodigy.MP, via RAVENNA, antes da distribuição espacial do som.

Um outro grande desafio com o equipamento anterior era a falta de DSP, que exigia muito equipamento de processamento externo . Uma vez que já estava instalada anteriormente a infraestrutura AoIP com a primeira MESA LAWO, foi fácil substituir as antigas stageboxes pelo modelo A__stage64, usando a cablagem existente e adicionando um Arista 7020 para ligar as mesas, núcleos A_UHD, unidades A__stages64, A__madi6 e o Power Core.

Por outro lado, a SFO partilha o teatro com o San Francisco Ballet, e ambos têm necessidades semelhantes, mas com algumas especificidades importantes. As mudanças necessárias foram, no passado, sempre bastante complicadas e demoradas, pois exigiam muitas alterações profundas do patch bay. Agora, finalmente, o sistema é grande e flexível o suficiente para que tudo o que há a fazer é, simplesmente trocar alguns microfones e introduzir um patch diferente na mc²56 MKIII, mc²36 MKII e no Power Core.

Saiba mais sobre este projecto aqui. Saiba mais sobre o equipamento aqui referido aqui. Fique a saber mais ainda sobre a LAWO e as suas soluções falando connosco.